terça-feira, 3 de outubro de 2017

convite a compartir esse sonho!

Talvez soe estranho; mas hoje, além de dividir com vocês um dos projetos mais especiais que já me dediquei, vim pedir ajuda! Confesso, pedir ajuda não é um ato dos mais fáceis, e há dias (semanas, pra ser mais sincera) ensaio esse pedido, sem saber exatamente como fazê-lo. 

Desde o início desse ano me dedico a um projeto que estava na minha lista de desejos - escrever um livro! Lá em meados de 2012 fiz alguns ensaios, entre textos, produção de peças artesanais e fotos, mas o dia-a-dia da vida empreendedora me tirou o foco. Este, aliás, foi um dos motivos pelos quais parei para (re)pensar o que eu queria comunicar ao meu público, à minha família e, sobretudo, à mim mesma; não aguentava mais parecer aquela profissional criativa, sorridente, que parecia viver feliz e plena num estúdio colorido e repleto de tecidos; havia problemas, dificuldades, desilusões, dúvidas. Se você me acompanha nas redes sociais, principalmente no instagram, já deve ter lido algum post que se inicia com a frase "senta que vem textão!", dê uma hashtag #colchadememoriaslugastal e encontrarás alguns!




Bem... voltando ao livro! Após planejar o conteúdo e o que eu gostaria de escrever, deu-se início a dois processos concomitantes: a produção das peças e a escrita propriamente dita. Aos poucos, todo material já executado era guardado, com zelo e cuidado. Lembram que em meados de março saí para um "sabático"? Acompanhei minha  mãe numa viagem e dediquei o tempo longe do cotidiano para me conectar com as ideias e traduzi-las através de palavras. Os meses se passaram, e cada etapa do livro era alinhavada,  ponto a ponto, escrita, palavra por palavra. Chegou um momento em que não consegui mais guardar meu segredo, precisava compartilhar com vocês aonde, afinal, eu dedicava toda minha energia. Aos poucos pílulas dessa história foram partilhadas, algumas fotos que talvez tenham passadas despercebidas pelas redes lugastal já eram ensaios fotográficos do livro. Como é difícil guardar segredo de um material tão rico e bonito! 

No meio dessa jornada o vento mudou algumas vezes e me fez corrigir o rumo; se lá em fevereiro, no início desse trabalho, eu pretendia escrever sobre minha história com as manualidades, na metade do caminho entendi que não este não seria apenas um livro, mas um álbum de histórias, de memórias,  de mim, de ti, um álbum de nós! 

Após entrelaçar todo o material, chegou a hora em que não tenho mais fôlego financeiro para tocar o projeto adiante - é necessária a contratação de profissionais competentes para a produção/diagramação/revisão, além dos custos gráficos. E, para executar essa fase final, aqui estou pedindo a sua ajuda! Estudei e pesquisei as principais plataformas de crownfunding (financiamento coletivo), com suas taxas, recompensas e garantias, porém nesse processo os trâmites mínimos são de 3 meses de captação de recursos, e quero entregar o livro a vocês até dezembro. Pedi apoio à empresas do segmento artesanal, e, com exceção das duas parceiras com quem trabalho diretamente, as demais respostas foram desmotivadoras, o país está em crise. Entendo, o mercado funciona assim e, ao se apresentar um pedido, há apenas duas chances: receber um SIM ou um NÃO. 


Pensei várias alternativas, e diante das mensagens que recebo diariamente, entre instagram, facebook, whastapp, versando sobre entrega, carinho, motivação e outros sentimentos bons que as pessoas têm decorrentes do meu trabalho, tenho refletido sobre pedir ajuda a que, de alguma maneira, também ajudo. Tenho a certeza de que juntos somos mais fortes, e sei que não consigo abraçar o mundo e meus projetos sozinha; diante disso, da maneira mais honesta, sincera e vulnerável possível, vim pedir ajuda!


Dia desses cruzei com um livro de título curioso: A Arte de Pedir. Após dificuldades variadas, Amanda Palmer, artista e autora do livro, pediu ajuda ao seu público para gravar um novo disco (e essa história é contada no TED The art of asking). Algumas de suas  frases mais sinceras e precisas ficaram martelando na minha cabeça: "ao precisar ajuda, me joguei nas milhares de conexões que eu tinha feito", "quando realmente vemos uns aos outros, nós queremos nos ajudar", "se quiser experimentar o sentimento visceral de confiar em estranhos, confie neles".  O TED em questão já teve mais de 6 milhões de acesso, e sabe o que eu senti? Que ela falou diretamente para mim, sussurrou ao meu ouvido e por vezes até levantou a voz: "Por que não pedir ajuda a quem está contigo no dia-a-dia? Afinal, esse trabalho é inspiração para todos vocês!!!".


Pedir é difícil, um ato onde você se mostra extremamente vulnerável, sem maquiagem. Sei que serei criticada, mas tenho forte um sentimento de que, muito mais do que qualquer sentença dos "juízes das redes sociais", posso contar com o apoio de quem realmente se conecta com o meu propósito e cada uma dessas ações. Por isso decidi, depois de muito muito muito pensar, ponderar, refletir, avaliar, imaginar, me jogar nas tantas conexões que tenho feito


Aqui está um material para que você entenda a essência do livro (é claro que é apenas uma pitada de todos os ingredientes, senão perderá a surpresa, né?). 






Mas não vim aqui apenas pedir, quero entregar, oferecer o que tenho em troca, e para isso preparei várias recompensas às quais você poderá avaliar, dentro de suas possibilidades.

Como funcionará esse apoio:  trata-se de uma venda antecipada com apoios individuais; cada recompensa terá um valor, e o mesmo poderá ser pago diretamente no e-commerce lugastal, pois essa é uma maneira que facilitará os trâmites administrativos e contábeis de todo esse processo (nota fiscal, impostos, envio da recompensa, endereço correto etc). 

Se você leu esse post até aqui, muito obrigada! (sei que hoje abusei!)!  Cada processo de criação e produção deste livro tem sido feito com muito carinho, da execução de cada produto à paleta de cores, do desafio em misturar tudo o que habita no nosso universo feito a mão à escolha de cada parágrafo que "converse" com a foto, e o melhor... tudo feito a várias mãos!! A felicidade que sinto em trabalhar nesse projeto é imensa, porém, reitero, sem apoio não conseguirei concretizá-lo. Por isso, através desse post totalmente "vida real", peço sua ajuda, seu apoio, seu carinho e confiança. Confiança, aliás, é ingrediente necessário aqui, pois proponho a você a venda de um produto que ainda não saiu do forno... (e o que será de nós se não confiarmos uns nos outros, não é verdade?!). 




Pra finalizar, agradeço mais uma vez pela paciência de ler todo textão, parafraseando Cervantes "Quando se sonha sozinho é apenas um sonho. Quando se sonha juntos é o começo da realidade".

Muito obrigada!!!



Lu Gastal