terça-feira, 16 de maio de 2017

Cultura africana em terras portuguesas

Quem lembrar dos tempos de escola, mais precisamente das aulas de história, recordará do Tratado de Tordesilhas - que versava sobre a linha imaginária a 370 léguas das ilhas de Cabo Verde, referência para divisão de terras entre Portugal e Espanha lá pelo final do século XV. Pois bem, lá nos meus 11/12 anos jamais imaginaria visitar a região, e a vida é realmente uma caixinha de surpresas - muitos tantos anos depois, tive essa oportunidade!

A República de Cabo Verde é formada por 10 ilhas, e numa delas estive recentemente. Pra quem pensou "será onde judas perdeu as botas", informo: na pequena e colorida cidade chamada Mindelo, localizada no coração de São Vicente, há, sim, um belo par de botas perdido num fio de luz,e qualquer turista ou visitante que se preze não saberá para qual lado olhar; a bela e calma Mindelo encanta sob diversos ângulos! Cidade espalhada, desprovida de prédios, povo tranquilo, sério sem deixar de ser simpático. Portuária com arquitetura colonial, mantém antigas e preservadas casas formando uma linda paleta de tons pastéis. Terra de Cesária Évora, de cultura, de forte influência africana e, consequentemente, intensas cores nos mercados públicos, do artesanato em palha e da praia de areia grossa, água gelada-azul-turquesa!

Usei a maior parte do meu tempo caminhando e conversando; puxei papo nas lojinhas,  no mercadão, no café, na padaria, no açougue, no museu. Era alguém direcionar o olhar a mim e eu dava partida pra conversa - ok...às vezes eu abordava a pessoa antes mesmo dela me olhar!!! Com os turistas a língua portuguesa é a escolhida;  entre eles falam um dialeto típico o qual não se entende absolutamente nada. Dicas preciosas de onde ir?!?! No meu caso foi em vão escolher um caminho específico - a cada esquina algo diferente chama a atenção e fica fácil desobedecer a rota inicial. Um pedacinho da África no oceano Atlântico, e na praça central tem wifi! 






Um agradecimento especial ao Silverio, guia local que me acompanhou por horas de caminhada e compartilhou frações da cultura e costumes locais!










Eu juro que tentei tomar um banho no mar de água azul e congelante!

Para ver mais fotos acesse instagram @lugastal 
e use a hashtag #naestradacomlugastal

Um comentário:

Maria Andrea Aguiar disse...

Qie experiência maravilhosa! E colorida! Obrigada ppr compartilhar!