domingo, 17 de abril de 2016

ensaios de uma dança colorida

Quem, nessa semana, visitou a décima edição da feira Brazil Patchwork Show em SP, ou nos acompanhou nas redes sociais, conferiu o resultado da exposição "A DANÇA DAS CORES" no espaço lugastal. O projeto surgiu para homenagear a edição festiva do evento, e às coleções das empresas parceiras Fernando Maluhy  (tecidos "50 tons") e  Círculo S/A (lãs Mollet "78 cores) - e dele nasceram muitas bailarinas (bonecas de pano) produzidas do mesmo molde e com diferentes personalidades. 

Pra concretizar esse projeto, muitas horas de trabalho se passaram, e 6 mãos habilidosas trabalharam em conjunto, na mais perfeita sintonia! O trabalho iniciou há quase 40 dias atrás - feitos os moldes de ambas as bonecas (em tamanho normal e mini), foi hora de escolher as cores do collant, para, depois, compor com as cores do tutu. Como em Porto Alegre não há grande variedade de tule, um bom e demorado "garimpo" debaixo de temporal pelas lojas da rua 25 de março foi necessário (esqueça o glamour e facilidade sempre que buscares a realização de algo especial!!!). E os próximos dias se resumiram a costuras, muitas costuras - a máquina, a mão. Aos poucos as bailarinas foram tomando forma, cada uma do seu jeito... 

Não consigo escolher etapa preferida, mas tenho uma queda pelo início e final do processo - o planejamento e os detalhes finais. Quando todas estavam costuradas, era o momento especial - escolher a cor do cabelo que comporia com cada uma delas, bem como os acessórios (coroa, sapatilha, flores, mini pompons, maquiagem). Se lhe parecer fácil, esqueça - esse é o momento que demanda bastante atenção! Meu olhar é exigente, e até que ele verdadeiramente se apaixone por cada detalhe, não deixará minhas mãos finalizarem cada boneca.


Algumas etapas eram feitas em série: as sapatilhas feitas em biscuit eram coladas, pé por pé, trançadas e amarradas em todas as pernas finas.  


Bailarinas devidamente costuradas, com cabelo costurado, sapatilhas coladas... cada uma ganhou sua "sessão make up"! 


Depois disso, cada boneca ganhou o tutu da cor do collant, e os detalhes (coroa, flores ou pompons). Depois, etiqueta lugastal e estavam prontas para bailar!


Sabe quando o trabalho parece não ter fim? Foi exatamente isso que senti. Mas teve fim... e na medida em que cada uma delas era finalizada, fui colando na janela do ateliê, que rapidamente coloriu a tarde nublada daquele sábado.


Depois que as "meninas" viajaram de avião (na minha mala de mão, é claro), finalmente chegaram ao seu destino - e distribuí-las harmoniosamente também foi um gostoso desafio! Algumas horas para a montagem... as bailarinas foram suspensas em fitas de cetim e fios de naylon; algumas dançavam entre um bambolê, outras em diferentes posições. Colírio para meus olhos -  vê-las todas em diferentes movimentos e cores fez valer cada etapa do trabalho!




E como falei no início do post, nenhum projeto lugastal acontece sozinho - agradeço aos parceiros Fernando Maluhy tecidos, Círculo S/A, à equipe WR eventos, à equipe lugastal  e a cada uma das pessoas que reservou um minuto pra prestigiar nosso trabalho!

Para conferir mais fotos da exposição, clique: facebook/lugastal, instagram lugastal ou coloque as hatshtags: #lugastal #brazilpatchworkshow #adancadascores

Pra quem deseja fazer sua bailarina, deixo abaixo as referências:
 MOLDES:  disponíveis na loja virtual
- tamanho normal (clique AQUI)
- tamanho mini (clique AQUI)
- sapatilha (clique AQUI)
- mini coroa (clique AQUI)
- mini pompons (clique AQUI)

Um comentário:

Denise Somera disse...

Lu, acompanho seu blog e negócios há anos, me inspirando sempre. Também sou empreendedora e muitas vezes, em seus textos, me senti compreendida entre sonhos, desafios, desejos e realizações. Fico sempre muito surpresa com suas postagens, desabafos e produções. É lindo! Um abraço, Denise