quarta-feira, 23 de abril de 2014

lembranças & arroz de leite

Nunca fui rainha da matemática,  tampouco da equipe de vôlei ou natação, ou da turma de violão. Ser rainha das piadas também passou longe dos meus atributos - achava lindo quando os colegas riam de piadas engraçadas, mas as minhas sempre foram infames. 

A vida é assim, nos apresenta oportunidades, situações, experiências, a à nós, somente à nós, cabe usá-las como melhor convir. Então, me esforçava pra ser rainha do português, mas, com pouco êxito, conquistei o carinho e simpatia da professora Zuleika. Lembro do dia em que, na sexta série, o assunto a ser abordado era o significado dos nomes, e a Zuzu, como carinhosamente chamávamos, abriu um livro empoeirado e tascou "vocês já pensaram que os nomes têm significados??? por exemplo, Luciana significa LUZ, luz que ilumina". Meio minuto de silêncio no recinto, e literalmente a casa caiu -  mais precisamente a SALA DE AULA caiu em cima de mim. Acho que os guris (na adolescência eles não perdoam nadinha...) riram de mim até terem dor de barriga. Não lembro exatamente, talvez minhas bochechas tenham oscilado entre as cores do arco íris; o fato é, muitos anos se passaram; a Zuzu já foi morar bem longe, e não poderá ler essas palavras, e à ela eu dedico esse texto e meu carinho por ter me ensinado a língua portuguesa e o significado do meu nome.


Num fim de tarde, na hora do chimarrão, meu pai comunicou que eu recebera um convite - a cidade escolheria a Rainha da Fenarroz ( Feira Nacional do Arroz, o evento mais importante de Cachoeira do Sul). Logo ele, que era (e é) avesso à qualquer espécie de supérfluos ou badalações... mas as meninas de certa faixa etária eram convidadas a participar, coisa de cidade pequena, comunidade unida, enfim. Meu pai sabia (e a mãe desconfiava) que a probabilidade de eu ser coroada a rainha do arroz era mínima (quase nula); em tempos em que as misses tinham cabelos longos e muito volumosos, a filha do casal, rebelde sem causa, usava os seus curtíssimos - entenda; curtíssimo significa mais curto do que os curto normal!!. Mas eu tinha um sorriso grande, que, à época, até tentava esconder com vergonha, era muito comprida e, embora usasse tênis 7 dias por semana, sabia me portar com segurança frente um par de sapatos altos. E naquele baile com o salão do Clube Rio Branco lotado entre amigos, parentes e conhecidos, lá me fui participar do concurso. Fui avisada em casa - deveria participar, sem grandes ambições, afinal, o mundo era das misses de cabelão. Numa rápida entrevista no meio do salão, quase me engasguei de tanta vergonha, a voz embasbacou e foi um desastre, nota ZERO... mas os jurados gostaram de mim; e resolveram me dar esse voto de confiança! Com cabelos muito curtos e sorriso grande, fui coroada Rainha do Arroz! No dia seguinte, na capa do jornal da cidade, a manchete dizia SALVE LUCIANA, RAINHA DA FENARROZ! Lembranças que o tempo não apaga! E nessa missão cumpri todos os compromissos, viagens, desafios - muitas vezes com vergonha de sorrir com todos os dentes. Coisas de guria de 17 anos. 

Muitos anos se passaram, e de quatro em quatro anos Cachoeira do Sul escolhe uma nova rainha. E é nessa época, na véspera de começar mais uma Fenarroz, as Rainhas de outrora recebem carinho, homenagens e direito à guardar seus vestidos no museu da cidade (siiiiiim, eu tenho roupas expostas em museu, e essa é a graça das minhas filhas desde pequeninhas!!!). Ah... às vezes também rola figuração na página do jornal, na coluna "há 25 anos".  #pronto, falei! 

Hoje eu sou a rainha do lar; talvez a rainha do Fred (que me espera ansiosamente na porta da casa pra dar um rolezinho todos os dias as 7 da manhã)...e a vida segue. Gosto disso - do tempo que não volta, das histórias pra contar, dos amigos que conquistamos pelo caminho! Ah... gosto também de arroz de leite, e sobre isso já falei AQUI!


3 comentários:

Lu!! (panitchos.blogspot.com.br) disse...

ARRASOU!!! Amei o post!!! Em época de bullying, como é bom ouvir essas histórias inspiradoras, de gente que deu a volta por cima, que conquistou até muito mais que sonhou!! A gente vê pessoas tão bem sucedidas, lindas, inteligentes e nem sabe que passaram por momentos de insegurança!! obrigada por compartilhar essa história de conquista por mérito!! Que os jovens a leiam, se inspirem a terem orgulho de quem são e reconhecer o próprio poder!!!

disse...

A ex-rainha do arroz de Cachoeira do sul, hoje é a Rainha do Craft no Brasil, distribuindo criatividade por onde passa.
Beijos Lu.

Anônimo disse...

Amei o post Lu! E posso te dizer que pouca coisa mudou por aqui (sim! To aqui na Capital do arroz!). A festa tá tomando corpo.. e acho que vai ser linda! Mas faltou uma coisinha nesse post aí.. cadê a fotinho p/ gnt?? Grande bjo! Rô (mairomapor@hotmail.com)