terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Pode chegar, 2015!

E lá se vai mais um ano... bate aquela nostalgia do que passou misturada com as vontades de realizar o que não pôde acontecer. Ok, faz parte do processo. Particularmente nessa época eu gosto de refletir e  agradecer; pela saúde, por meus amores, pelas conquistas, pelas superações, pelos rancores que consegui enterrar, pelas buscas, pelos lugares onde estive, pelas crenças, pelos relacionamentos. Agradecer a Deus, agradecer a mim mesma, nos momentos em que escuto o silêncio, no velho e bom estilo “cá com meus botões”.

Não finalizei todos os projetos que gostaria, mas amanhã, quando já será ano novo, terei outras oportunidades de fazê-los.  Fiz  meu 2014 do jeito que pude, dia após dia, subindo e descendo degraus. Já é quase 2015. Particularmente não acredito em listas de desejos e planejamentos pré réveillon,  creio, sim, nas atitudes que nos acompanham o ano inteiro, nos exemplos, nas ações, de janeiro a dezembro.
Hoje eu quero agradecer a quem me acompanhou, a quem esteve perto, sem jamais ter me encontrado; a quem comigo partilha desafios,  a quem segura no peito as minhas ausências, a quem em mim confia e divide seus projetos. E meu agradecimento chega em forma de carinho, desejando a cada um de vocês um novo ano de oportunidades, saúde, e, é claro, felicidade! Que sigamos sempre juntos, encaixando todas as dificuldades e conquistas ao nosso dia-a-dia!

sábado, 20 de dezembro de 2014

Presentes para fugir do óbvio

Adorei a matéria publicada na Zero Hora de ontem, com dicas pra quem aposta na originalidade e inovação na hora de presentear. Esta é tendência entre consumidores, e o mercado oferece opções criativas aos produtos mais corriqueiros das listas. Tudo muito bem traduzido pelas palavras do jornalista Itamar Melo.


"No começo, eram apenas ouro, mirra e incenso. Hoje, as possibilidades são quase infinitas, indo do prosaico par de meias ao smartphone de última geração. Apesar da variedade, achar o presente matador - capaz de escapar do lugar comum, de provocar uma impressão duradoura e de expressar uma mensagem certeira - transformou-se em um drama capaz de estragar o Natal de muita gente. Batendo perna nos corredores lotados dos shoppings, em uma corrida contra o relógio, todos sonham em encontrar algo único, diferente e especial... Ninguém quer dar presentes que todo mundo dá. O mercado procura coisas impactantes, personalizadas, que fujam ao óbvio e que se ajustem a quem vai receber."

E nessa busca do "fugir do comum", o jornalista dá 7 dicas para surpreender:
1. DÊ ARTE:  Se a ideia é oferecer um presente que seja único e original, em lugar de artigos produzidos em larga escala, obras de arte são insuperáveis;
2. OFEREÇA UM APRENDIZADO: Se a pessoa que você gosta presentear gosta de fotos ou aprecia degustação de cervejas, que tal oferecer um curso de fotografias ou de fabricação artesanal da bebida?
3. PRESENTEIE COM UMA EXPERIÊNCIA: poucas coisas podem ser tão inesquecíveis quanto um presente imaterial. As opções são infindáveis - pode ser um passeio de balão, um salto de paraquedas, um jantar em um restaurante bacana, uma visita a vinícola, uma estadia num spa.
4. APOSTE NO SUSTENTÁVEL: época de consumo e gastança, o Natal não é de todo inofensivo ao ambiente. Mas é possível mudar essa situação fazendo uma escolha por presentes sustentáveis.
5. REGALOS PELA INTERNET: cada vez mais gente tem acesso à internet no smartphone, em tablets ou até mesmo na TV. Isto abre uma nova fronteira de possíveis presentes;
6. PROPORCIONE UM ESPETÁCULO: ingressos para espetáculos musicais, apresentações de teatro ou competições esportivas são uma opção certeira.
7. FAÇA VOCÊ MESMO: presentes feitos em casa custam pouco e valem muito, porque são artigos únicos. para quem domina a técnica, pode ser um bolo, uma bijuteria ou uma roupa. Também dá pra consultar sites que ensinam a fazer todo tipo de coisa.

Então tá, ainda dá tempo de aproveitar e buscar aquele presente único e com identidade exclusiva!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

PROMOÇÃO 'LUGASTAL E OS MELHORES BISCOITOS DO MUNDO NO SEU NATAL" - edição 2014

É tempo de abraçar, de reencontrar, de recordar. Nesse clima de votos/novos projetos X nostalgia, nada melhor do que oferecer aquilo que temos de melhor: o amor! E amor com sabor de biscoitos é ainda mais gostoso!

Está aberta a temporada natalina dos MELHORES BISCOITOS DO MUNDO - feitos artesanalmente e com sabor delícia de mel com gengibre, eles têm sabor de simplicidade, de criatividade, de"casa de vó",de nostalgia, de união ao redor da mesa. Quem os faz não resiste, quem os recebe não resiste, quem os tem nas mãos não resiste! 

E pra quem distribuir seu amor neste Natal, vai rolar a promoção LUGASTAL E OS MELHORES BISCOITOS NO SEU NATALPara participar é simples e delicioso - leia atentamente as regras no final deste post,  A ganhadora da promoção receberá  uma caixa com super presentes lugastal - um kit de alfabeto/carimbo para biscoitos, cortadores variados e outros itens pra incrementar suas próximas produçõesFotos postadas no instagram e facebook com as hashtags #lugastal e #osmelhoresbiscoitosdomundo até o dia 25 de dezembro participarão do sorteio. 

Para sentir a emoção de curtir bons e gostosos momentos -  assista o vídeo no canal lugastal do youtube (clique AQUI


A RECEITA ESTÁ AQUI!

Ingredientes da massa:

*1 xícara manteiga sem sal
*1 xícara açúcar
*1 colher (sopa) gengibre em pó
*1 colher (chá) canela
*1 colher (chá) cravo moído em pó
*1/2 xícara mel
*1/2 xícara água
*4 xícaras farinha de trigo
*1 1/2 colher (chá) bicarbonato de sódio
*1/4 colher (chá) sal
Ingredientes do glacê
* 3 claras
*caldo de dois limões
*750 g açúcar confeiteiro
*corantes alimentícios

- Coloque a manteiga numa tigela grande. Enquanto isso, despeje numa panela o açúcar, o gengibre, a canela, o cravo e o mel, além da água. Misture tudo até ferver.

Tire do fogo e despeje em cima da manteiga, mexendo até que a mesma derreta.

Resfrie em banho-maria (numa tigela com água e gelo)

Depois de frio, adicione à mistura a farinha, o bicarbonato, o sal, e misture bem.

Cubra e leve à geladeira por no mínimo 6 horas.

- Depois desse tempo na geladeira, abra a massa em uma superfície com farinha de trigo, até que fique com aproximadamente 0,3 cm de espessura.
Leve ao forno pré aquecido por 12 a 14 minutos (14 se quiseres que fiquem mais crocante). Por último, use a criatividade e corte os biscoitos com seus cortadores preferidos!!!!!

Regulamento:

Vigência da promoção: esta promoção terá início no dia 15 de dezembro e fim no dia 25 de dezembro de 2014. No dia 26 de dezembro será divulgado o resultado na fanpage (www.facebook.com/lugastal), na qual será solicitado que a ganhadora envie seus dados (nome completo e endereço);
Como participar do sorteio?
1.  Para participar da "promoção lugastal e os melhores biscoitos do mundo no seu natal" prepare a receita e e posta no facebook OU no instagram com as hashtags #lugastal e #osmelhoresbiscoitosdomundo.

Premiação: o prêmio é individual e intransferível, e em hipótese alguma será trocado por outro produto ou convertido em dinheiro. 
Será sorteada uma participante, que receberá um kit contendo:
Um kit de alfabeto/carimbo para biscoitos, cortadores de biscoitos variados, saquinhos de embalagens e outros itens para incrementar suas próximas produções de biscoitos.

Disposições gerais:
1. Serão aceitas participantes residentes em território nacional. O  frete de entrega do presente é responsabilidade da empresa lugastal.
2. Serão considerados participantes da promoção as pessoas no período que compreende a vigência da promoção (de 15/12/2014 a 25/12/2014); e que tenham postado a foto no facebook OU instagram com as hashtags #lugastal e #osmelhoresbiscoitosdoundo.
3. A empresa lugastal não se responsabiliza por nenhum falha técnica de transmissão, problemas de acesso à internet, ou qualquer caso fortuito ou de força maior que possam impedir a participação do usuário.
4. Todas as dúvidas e/ou questões surgidas nesta promoção serão solucionadas pelo promotor (empresa lugastal), considerando sempre as normas de proteção ao consumidor. Das decisões da empresa promotora não caberá nenhum tipo de recurso.
5. Todas as participantes da "PROMOÇÃO LUGASTAL E OS MELHORES BISCOITOS DO MUNDO NO SEU NATAL" autorizam a divulgação de seus nomes nas redes sociais lugastal.


VENCEDORA DA PROMO deste ano: Thaís Gheler (sorteio pelo random.org)

domingo, 7 de dezembro de 2014

O advento de um Natal diferente

(foto Danibat)

Quando criança, logo no início de dezembro  minha mãe enfeitava a casa à espera do Natal. Numa pequena mesa de apoio, colocava uma espécie de guirlanda de louça, com pequenos galhos de pinheiro e 4 velas vermelhas - aquele era o sinal de que chegara o Advento, que pertence ao ciclo do Natal. Detalhe: as velas eram sempre as mesmas, pois a mãe nunca as ascendia (risos...).

Para os cristãos, a liturgia do Advento é o período da preparação, e a própria palavra advento que origina-se do verbo latino advenire,  quer dizer chegar. É tempo de espera d’Aquele que há de vir.

Mas, em tempos modernos, o que se pensar desse período pré natal? Nesse período tento desacelerar (sim, eu tento!);  não faço parte do time que corre freneticamente as 3 semanas de dezembro em busca do que não foi feito o ano inteiro. Gosto do ato de pensar, de sentir saudade. 

Meu Natal desse ano será diferente, ainda não sei como, mas será. Pela primeira vez não terei a família completa - uma das filhas viajou de intercâmbio e passará as festas há muitos e muitos quilômetros distantes. Diariamente tento me convencer com o pensamento "ah, mas a noite de Natal é uma noite como qualquer outra, o que importa são todas as demais noites do ano". Puro engano; é, sim, uma noite especial - é  nessa noite que eu penso naquele tempo em que a mãe enfeitava a casa com a guirlanda de louça, é quando lembro dos pinheiros (naturais) que minhas avós enfeitavam pra esperar o Papai Noel, é quando lembro da primeira árvore de natal que montei depois que as meninas nasceram; é na noite de natal que, em silêncio, agradeço as conquistas e presentes da vida.  Embora uma apaixonada declarada pela época de Natal, tenho fugido do tema nesta "edição 2014".  Nós, que somos 5, esse ano seremos 4 - faltará uma pessoa, e que falta ela me fará. Sorte dela, talvez... vai escapar de cantar comigo a música mais triste do mundo - Noite Feliz, que faz parte dos rituais natalinos da minha vida, desde que lembro de existir. Talvez isso explique o por quê assumi um ritmo intenso de trabalho numa época em que gosto de desacelerar.

Hoje, ao notar que já acabou o segundo domingo do advento, senti saudade daquela guirlanda de louça que a mãe punha sobre a mesa, e cujas velas nunca foram acesas. Saudade do passado que não volta, e do tempo em que minhas filhas esperavam (do meu lado) pelo Papai Noel! 

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

de volta à EduK!

As cores influenciam nossa vida, criam os mais variados sentimentos. Fenômeno que fascina, desperta interesse e deslumbramento nas pessoas. Cada cor pode produzir diversos efeitos, atuar de maneiras diferentes; cada uma seu significado, conforme a percebemos. Quem trabalha com arte, artesanato, fotografia, ou qualquer outro tipo de comunicação visual, conhece sua importância nesse processo criativo.

Pensando nisso,  e sempre em busca de propostas diferentes, apresentarei na EduK o curso PATCH CRIATIVO SEM SEGREDOS, uma proposta repleta de cores e inovação, onde serão trabalhadas diversas possibilidades de composição de cores e utilização de tecidos na criação de peças decorativas em patchwork, com truques criativos e aproveitamento de pequenos retalhos. 

Quando dezembro chegar, eu te espero na EduK com mais um curso muito colorido e criativo no maior estilo lugastal! O curso será apresentado ao vivo e gratuitamente, e quem adquirir o mesmo receberá todos os moldes e  material complementar (clique AQUI)

Para assistir ao teaser, clique neste LINK



domingo, 9 de novembro de 2014

É tempo de bazares!


Final de ano chegando, natal à vista, reveillón idem; para artesãs e comerciantes, aí vem o período de maior dedicação e oportunidades. A coluna ALINHAVOS & GESTÃO chega com dicas  pra que vocês arrasem nos bazares e atividades especiais de novembro e dezembro!

1. Independente do tamanho do evento, seja um bazar ou uma ação promocional em seu comércio, o planejamento de detalhes é fundamental. Programe antecipadamente a data, quem participará, qual será o público alvo, quais produtos serão apresentados;

2. Cuide do espaço de maneira a deixá-lo harmônico e bacana - vale tirar alguns móveis, trocá-los de lugar, vale pegar aquela mesa antiga da casa da mãe, vale decorar com um vaso fofo e flores. O que importa é dar à nossa cliente a certeza de que ela é especial, e foi esperada com carinho por nós.

3. Para mesas de bazares, geralmente aquelas brancas plásticas, não abra mão de uma toalha que a cubra até o chão. Não deixe sua cliente notar que debaixo da mesa há sacolas com produtos e outros objetos que não precisam ser notados.

4. O sucesso do bazar não precisa ser imediato - muitas vezes nos dedicamos à participação de bazar, e devido à poucas vendas no dia, temos o pensamento de que não valeu a pena. Por isso, é importante investir na apresentação do produto - cartões de visita são ferramentas fundamentais para esse contato futuro com as clientes. Muitas vezes a cliente vai ao bazar, não compra o produto, pensa e volta a procurar no decorrer dos dias, por isso, dedique-se à encantá-la!

5. A embalagem do seu produto também é fundamental. Não se preocupe em investir grandes valores em embalagens personalizadas - tu poderá personalizar sacolas de forma criativa e única. Gaste um tempo nesse planejamento, pesquise tendências (já visitou a rede social Pinterest? eu recomendo!)

6. Aproveite o momento para captar futuras clientes; deixe em cima da mesa um bloquinho fofo e peça para suas visitantes anotarem nome e email - eles serão válidos em futuros contatos (dica: não precisa pedir telefone, rg, data de aniversário, etc... informações em excesso desanimam a cliente a preencher o cadastro);

7. Invista na sua apresentação pessoal. Isso não significa que tu precises ir ao cabeleireiro e fazer chapinha no cabelo - um visual clean será sinônimo de capricho, seguindo a máxima "o menos é mais"! A cliente tem que notar o seu produto, não a nova cor do sapato.  Um sorriso sincero é, sempre, o melhor cartão de visitas!

8. Com  tantas festas e comemorações na época, ofereça pequenas tags, aqueles pedaços de papéis fofos onde se escreve DE: ..... PARA:......; os detalhes fazem toda diferença, e não será necessário investir grande soma de dinheiro nesses cuidados;

9. Não participe de bazares ou ações comerciais esperando divulgação alheia - com antecedência avise suas clientes, amigas e familiares e convide-os para visitar o evento. Quanto mais você divulgar, maior serão as chances de sucesso de público. Se todos os expositores fazem a sua parte, o público certamente visitará o evento.

10. Capriche nos produtos, é claro! Venda um produto que você mesmo compraria; e deixe transparecer o carinho dedicado nessa produção!


Este post é dedicado à quem pinta, borda, costura, faz scrap, ou mesmo revende produtos terceirizados. Independente da atividade, faça-a com amor no coração!

Para ler outros textos de  ALINHAVOS & GESTÃO, clique na coluna ao lado desse post.

domingo, 2 de novembro de 2014

Sim, ela existe!

Novembro em Porto Alegre é sinônimo de Feira do Livro, de fim de tarde na praça, programinha tudo de bom e descobertas. Quem me lê por aqui sabe que tenho uma amiga que se chama Gabriela, e assim como eu, ela devora as crônicas da Martha Medeiros como quem toma sorvete de pistache. Bem, soube que a escritora autografaria na feira seus novos livros;  um excelente momento para visitar a feira, comprar o presente da minha amiga queridona, e me presentear com um programinha tudo-de-bom, no estilo eu comigo mesma

Nesse sábado saí mais cedo do estúdio; passei rapidamente em casa pra pegar um guarda-chuvas (sim, feira do livro em Porto Alegre também é sinônimo de dias chuvosos) e me perfumei- afinal, conhecer minha musa inspiradora merecia um perfume dos bons. No caminho pensava, o que diria para a musa? Ela existirá mesmo? Minha amiga Gabi disse que sim, ela existe; na semana passada se encontraram numa festa e ela, a amiga, também jornalista, ao ser apresentada  para ninguém mais, ninguém menos que Martha Medeiros, ficou atônita e foi incapaz de explicar o quanto a musa nos é querida - as palavras lhe fugiram e com um ar blasê ela apenas respondeu "muito prazer, Gabriela". Bem, caberia à mim, esta humilde advogada que enveredou para o mundo das cores e da costura e com vocês partilha aqui no blog as angústias e alegrias de viver o mundo craft, o dever de vingar esse lapso  - Martha Medeiros tinha de saber que neste mundo há duas gurias (nem tão gurias assim), girafas, que do alto dos seus 1,80cm suspiram, riem e se emocionam com sua sábia, poética e real escrita.

Cheguei na praça e já de longe pude enxergar a fila (assim como eu e a Gabi, há muita gente que também adora a musa Martha); grande coisa, não me encolho com fila, tampouco por ficar em pé, e estava lá pra isso mesmo! Já com os livros debaixo do braço, me enfiei no meio das pessoas, e na ponta dos pés (hehehehe... imaginem eu, uma girafa, esticando o pescoço...) vi a musa Martha, grandiosamente sentada numa mesinha que não maior do que  80cm. Naquele momento meu coração bateu forte, descobri que ela é de verdade,  para minha surpresa, gente como a gente. 

Comprei dois exemplares, o Liberdade Crônica e o Felicidade Crônica, e como num sorteio de par ou ímpar, coloquei meu nome num marcador e o da Gabi no outro, para aleatoriamente serem autografados. Os próximos 120 minutos dessa história se passaram entre muitos passos à frente, um pacote de pipoca doce, algumas varizes insistentemente avisando que era hora de sentar, e muitos pensamentos, entre eles, "o que eu diria à musa?". Enquanto minha vez não chegava, observava a escritora atendendo um a um, sorrindo selfie a selfie, autografando livro a livro. Meus olhos atentavam para o carinho que circulava naquele espaço, e, por vezes (dentro das devidas proporções), não pude deixar de fazer alusão ao carinho que recebo de vocês nas feiras e eventos que participo, dos beijos e dos abraços,das palavras sinceras. Duas horas de fila depois...e chegou minha vez! Não fiz nenhuma selfie, o verdeiro intuito da programação era a dedicatória pra amiga aniversariante. Consegui até falar, mesmo sabendo que nossa musa devia estar exausta e talvez sem  absorver tantas declarações, e à ela contei que fui buscar seu carinho pra presentar a amiga. 


p.s: à Gabi o destino escolheu a edição Felicidade Crônica, nada menos justo para um presente de aniversário!

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

As cores & o amor na campanha COSTURE O BEM


Quando você deseja o bem, o bem te deseja também!


Com essa frase de autor desconhecido inicio esse post! Em maio lancei aqui no blog a campanha COSTURE O BEM, que foi super abraçada por pessoas queridas do país todo. No período marcado muitas manifestações de amor e carinho chegaram, em mãos e pelos correios, e a partir disso começamos a montagem da colcha. Os prazos previstos não foram suficientes, mas como solidariedade não existe limites... optamos por trabalhar a colcha com calma e todo o amor nossa campanha merece!

Eis que, finalmente, a colcha está pronta, e linda - ela traduz um pedacinho de cada uma das participantes, que aderiram à ideia, e enviaram suas melhores energias. Com o trabalho minuncioso na escolha dos blocos, Fabiana Lauer montou a estrutura da colcha, de forma a deixá-la linda e harmoniosa. O quilt foi feito a mão, e enriqueceu ainda mais nosso trabalho. 


Sim, a colcha está pronta, e linda, e está exposta no espaço lugastal na feira ARTESANAL, que acontece no Barra Shopping até sábado,dia 25 de outubro, aqui em Porto Alegre. Preparamos esse espaço pra dividir com todas vocês cada pedaço de cor e amor que na colcha foram costurados. No estande da Cotemac, o espaço lugastal foi montado para que vcs façam suas "patch selfies"e dividam conosco todo esse amor!


Em breve divulgaremos a instituição que fará a ação de rifa com a colcha. Aguardem novidades! E, mais uma vez, quero agradecer à quem participou e uniu, conosco, todo o seu amor.

p.s: pela grande quantidade de material que recebemos, há blocos que não foram utilizados... e a campanha COSTURE O BEM seguirá sua estrada... outra peça será apresentada, em breve!

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Patinhos para o Pedro!


Sabe quando a gente faz um trabalho e depois fica pensando nas tantas possibilidades que ainda poderiam ser exploradas? Esse é meu sentimento com os patinhos de banho - quem visita o estúdio lugastal sabe que temos um caso de amor (visite nosso banheiro!), e a cada viagem que os encontro, a galera aumenta.

Em junho decorei o chá da minha amiga Carol, então à espera da Teresa (que chegou ao mundo nessa semana, linda e cabeluda!), e em outubro havia outra tarefa de "titia prendada", decorar o chá do Pedro (na verdade, o encontro teve um formato festivo um pouco diferente, com direito à presença das amigas, titias, vovós, amigos, tios e vovôs. Mas estamos em outubro, época de Ocktoberfest, e à noite intitulou-se Chopp do Pedro!  

Eu bem que tentei pensar noutro tema - a imaginação passou por fazendinha, barcos, pescaria, carrinhos... mas voltou ao ponto inicial,  patinhos de banho - e na noite festiva havia muitos deles!!!

Contar com o apoio de amigas prendadas é sempre muito bom - cookies lindos (Cookieria By Margaret), papelaria (Tuty Arte&Mimos), o bolo e outras guloseimas foram feitos lá em casa. A mãe do Pedro preparou as lembrancinhas, com jujubas e marshmallows. E a festa estava tri boa!








Agora é só esperar o Pedro chegar... e dizer "oi tia Lu!"

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Vó, estou na Burda!!!!!

Quando era pequena ( faz tempo!!!!) adorava folhear as revistas das avós. Norminha, a vó do lado da mãe, adorava as fotonovelas e os livros de romance; Léps, a vó do lado do pai, gostava de conferir "as modas" em tricô e tecido; e  eu, curiosa, bisbilhotava atentamente as publicações - eu e minhas irmãs chegávamos na casa delas e saíamos garimpando alguma novidade.  Confesso que, ao olhar que a novi era a revista Burda, não me sentia muito animada (kkkkkkk... a vó adorava... dizia, toda animada,  que a Burda vinha do "estrangeiro"e hoje entendo perfeitamente o que é esperar uma revista ou receber algo diferente). Mas cresci com aquele pré-conceito de que a Burda era revista de vó - traduzindo: revista de velhas!

Muitos anos se passaram, minhas avós foram embora, e no maior estilo "das lembranças que eu trago na vida", nesse ano fui entrevistada por qual revista??? Ela, a "Burda amada da minha vó"! Soube que marca chegaria em breve ao Brasil, e logo ao receber o primeiro exemplar já me encantei com o que vi: editoriais contemporâneos e de bom gosto... eu adorei! Mas fiquei pensativa sobre o quanto a revista estava moderna, até cair a ficha, a revista sempre foi moderna, ditadora de tendências fashion... eu é que era criança e a achava sem graça. Pois então... não sei se é porque já estou mais perto da idade das minhas avós do que da idade que eu tinha à época, mas estou completamente in love com a revista, e nessa segunda edição, ainda fui presenteada com uma matéria de página inteira! 

Vale a pena conferir os editoriais, estão lindos e cheios de sugestões bacanas! Na página do facebook também têm dicas e novidades (clique aqui).


Com uma rotina agitada, Lu Gastal concilia seu tempo com as aulas, os encontros de patchwork e seu atelier

Uma história de amor que começou desde cedo por influência de suas avós que desenvolviam atividades manuais. Mas depois de algumas mudanças em sua vida, a costura tornou-se sua atividade principal. A artesã Luciana Gastal, ou simplesmente Lu, hoje mantém um belo atelier em Porto Alegre, promove encontros de patchwork, possui uma loja virtual e ainda dá aulas. Ufa! Uma rotina intensa que começa cedo e se estende até a noite. Mas nada disso tira o sorriso simpático dessa gaúcha de Cachoeira do Sul (RS).

Trocar uma atividade sólida e respeitada como a advocacia foi uma decisão tomada em conjunto com a família, já que buscava mais simplicidade para a sua vida. "Não podemos precisar o futuro, tudo é permeado em tentativas, erros e acerto; é preciso coragem  e conhecimento", comenta. O artesanato abriu portas para uma nova profissão, mas também para conhecer gente nova, fazer amizades e conhecer novos lugares.

Estudou e leu muito, inspirou-se em cases de negócios para montar a sua marca lugastal, com produtos artesanais, criados e produzidos com sua identidade, carinho, amor e muita seriedade. Sobre o seu trabalho e como inspira os outros comenta: "Algo que me emociona é encontrar artesãs em todo país e saber qu emeu trabalho as inspira, as motiva na busca pela qualidade de seus produtos". 

Além de comendar uma estrutura de sete pessoas, Lu ainda viaja para participar de feiras, ministrar cursos e procurar novidades. "Quem acompanha lugastal sabe que adoro uma estrada, adoro desafios, e para apresentar tendências, é preciso sair da zona de conforto", finaliza.

Saiba mais sobre o trabalho de lugastal em www.lugastal.com.br

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

emoção & fazer a mão



Foi na última quinta-feira,  a muitos quilômetros de casa; acordei cansada, e num hotel simples, mas com o luxo de ter um sabiá cantando à minha janela, tomei um café preto pra me despedir da preguiça. A viagem da véspera fora exaustiva, somada à montagem do espaço lugastal, na feira de patchwork de Limeira; era hora de encontrar quem me acompanha à distância durante todos os dias do ano - vocês! Uma passadinha básica pelas redes sociais e recebo a notificação da minha amiga-de-fé-irmã-siamesa-camarada Gabi. Já devo ter a citado por aqui, é amiga daquelas tipo casamento - na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando e respeitando nas diferenças e escolhas. Meu coração já ficou feliz - a Gabi é uma guria (heheheheh... ainda somos gurias, sim!) especial e muito sensível; e seu carinho por mim sempre é muitíssimo bem vindo. 

A marcação do facebook vinha do perfil da escritora (e linda) gaúcha Letícia Wierzchowki, cujos textos são permeados de uma sensibilidade incrível (quem leu A Casa das 7 Mulheres me entenderá). Aliás, a série foi gravada na casa da D.Nóris, avó da minha amiga Gabi, e foi lá mesmo, naquela casa enorme com tantos quartos e histórias que vivemos nossos dilemas de adolescentes entrando na fase adulta. Bons tempos, sinto saudade! O texto que a Gabi mencionara me tocou profundamente, e nele refleti durante todo o dia e nas próximas manhãs em que o sabiá cantou pra mim na janela do pequeno hotel de Limeira. 

Fazer com as próprias mãos é um grande exercício plenamente esquecido nesta vida onde tudo se compra pronto. Pintar um móvel, preparar um bolo, tecer uma peça em tricô, pregar, lixar, plantar um jardim, construir um barco, bordar um lenço - fazer com as mãos é uma maneira de fazer poesia para o cotidiano das nossas vidas. Uma vez, ouvi uma pessoa que eu conhecia muito pouco comentar a respeito de uma velha colcha de crochê: "Nunca vou me desfazer desta colcha, nunca mesmo. Pois a minha mãe a tramou para mim alguns meses antes de falecer repentinamente, e quando penso nas longas horas que ela se debruçou sobre esse trabalho, quando eu penso em todos os pensamentos de minha mãe que estarão para sempre entrelaçados a esse pedaço de cobertor... Bem, dormir com essa colcha é o mais próximo que eu posso me sentir da minha mãe."
Gosto mesmo de fazer as coisas, de costurar, tricotar e plantar no meu jardim lá na praia - mesmo que o jardinheiro faça mais rápido e melhor do que eu, tudo o que plantei ficou sendo especial. Outros podem fazer com perfeição maior, ou mais apuro, mas ninguém fará com tanto amor. Por isso, cerco meus filhos de coisas preparadas por mim, pequenos regalos que passam desapercebidos no corre-corre desta vida; mas lá estão, tênues limites entre as durezas que o mundo pode nos impor e a suavidade que o meu amor deseja para a vida daqueles que eu amo. Por isso, sempre que uma crianças querida nasce, eu bordo um presente, bordo-o colocando ali todos os bons ensejos da minha alma, fixando no tecido, com agulha e linha, um punhado honesto de bons pensamentos.
E, como sempre, quando alguma coisa que me significa, lá vem Sophia de Mello Breyner com as suas palavras, dizendo o que eu jamais direi tão bem: "A civilização em que estamos é tão errada que nela o pensamento se desligou da mão. Ulisses, rei de Ítaca, carpinteirou seu barco. E gabava-se também de saber conduzir num campo a direito o sulco do arado."



P.s: não conheço a Letícia pessoalmente,  ou melhor, a conheço muito; já li sua história de amor com o marido, outras (muitas) reportagens e adoro seus textos. Há uns 3 anos a encontrei em Pelotas, era missa campal na véspera das gravações da Casa das 7 Mulheres, mas não tive coragem de me aproximar. Tempos depois cruzei com ela no estacionamento do super, e de novo fiquei muda. Falaria o quê? Ah... não importa, já passou e faz tempo; talvez hoje eu possa dizer a ela que eu adoraria ter escrito seu texto, sem dúvida um dos mais belos e sinceros que já li a respeito da escolha do fazer a mão

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

tecidos lugastal - coleção 2014


Bom dia!!!! Sempre que planejo algo novo - um produto, um evento, um encontro, gosto de fazê-lo nos mínimos detalhes. Há muitos processos que envolvem qualquer novidade; há soma de esforços, há confiança, há conquistas, e hoje é um dia especial! Aguardei ansiosamente por esta manhã de terça-feira, 23 de setembro. Dia de celebrar a chegada da primavera (adoro!!!!), e, sobretudo, dia de apresentar a nova coleção de tecidos lugastal para Fernando Maluhy. A coleção retrô traz 6 estampas, perfeitas para composês coloridos e divertidos. Use e abuse da imaginação, mescle tons de  rosa, verde, marrom - ouse na mistura com poá, xadrez, mini floral e tudo o que tua imaginação permitir!

É com muita alegria que entrego à vocês mais uma coleção de tecidos lugastal, e espero que destas sugestões saiam muitos trabalhos lindos, repletos de cores, criatividade, e, sobretudo, de alto astral! As estampas estão perfeitas pra compor suas criações artesanais, desde produtos para cozinha com toque vintage, à vestidos, saias, trabalhos de patchwork e o que mais tua imaginação permitir. A nova coleção é de vocês, e criada pra vocês, com todo o meu amor!

Obrigada família Maluhy pela oportunidade e confiança, e por distribuírem por todo país um pedacinho desse olhar lugastal!

As novas estampas lugastal estão disponíveis na loja virtual - pra visitar, clique AQUI.



terça-feira, 16 de setembro de 2014

eu brinco, tu brincas, nós brincamos de boneca!



Alô galera do mundo craft: atire a primeira pedra quem nunca brincou de boneca. Susi (para aquelas da minha geração) Barbie, bonecas de pano, enfim... todas já tivemos alguma lembrança de boneca na infância. 

Quem me lê sabe que não é novidade, eu ainda brinco de bonecas, literalmente falando, sou bonequeira assumida, e coleciono bonecas Blythe, aquelas meninas estranhas de cabeça grande e olhos intensos. Muito já escrevi sobre elas por aqui (leia esse post). Sempre que sobra um tempo (e atualmente o tempo é escasso), pego as "meninas", troco a roupa, arrumo os looks, cabelos... ADORO!). Mas sabe por quê falo nelas hoje? Porque no próximo fim-de-semana vai rolar em Sampa o BlytheCom (encontro de bonequeiras Blythe), e, um dia antes, a exposição Modus do Brasil, no ateliê da queridíssima Cris Botallo, sob os cuidados dela e do queridíssimo Vagner Cavalheiro. Para o evento, a dupla blytheira desafiou colecionadores a criarem looks especiais. 

Visite o evento, e confira o look lugastal preparado pro "esquenta"! Para mais informações, acompanhe o grupo no facebook (AQUI). 

Ah, esqueci de apresentar; abaixo estão minhas meninas: Sarah, Sofia, Channel, Claudinha, Lucineyde, a ruiva (ainda sem nome), Cla, Emily e Dani. Risos... (será que Freud explica?!?!?!)


domingo, 14 de setembro de 2014

Com a palavra...

A revista Patch Mix- edição especial Círculo, me entrevistou pra coluna "com a palavra...". Feliz em partilhar com vcs um pedacinho dessa história!  

(foto Glau Macedo)

"Sempre gostei de artesanato, de inventar, de fazer ou tentar fazer diferente. Lembro da época do colégio, quando era obrigatório o uso do uniforme e eu, pequena ainda, matutava de que forma poderia driblar aquela regra e vestir algo diferente. Lembro dessa reflexão, mas não tenho na lembrança se consegui. Acho que chegou um dia em que entendi que as regras do uniforme existiam justamente para padronizar os alunos e ponto final. Sem questionamentos!

Com 13 anos aprendi o tricô - para aquecer no frio gaúcho, tricotei um cachecol e um par de polainas, nas cores laranja e verde-limão (vai entender uma mente adolescente e sua escolha e cores malucas!!). Errei pontos, acertei pontos, e aprendi a brincar co as cores e as lãs... muitos blusões nasceram nos próximos anos. Pintei madeira, bordei ponto cruz e este foi meu segundo contato com os produtos Círculo. As meadas de linha eram cuidadosamente desenroladas e reordenadas numa caixa transparente. Acho que, mais do que bordar, eu gostava mesmo era de observar (namorar mesmo) as cores, as linhas, enfim, de alguma forma me fascinava aquela matéria-prima. Quando eu imaginaria que, tantos anos depois, dividiria minha história com leitoras e artesãs que também se fascinam pelos produtos da marca Círculo!

Eis que o patchwork me encantou - depois de anos abandonei os bordados, o tricô e me dediquei exclusivamente aos tecidos. Mas hoje tenho o prazer de misturar a matéria-prima, me divertir com buscas e mixar, por exemplo, uma flor de crochê, para finalizar uma bolsa em patchwork. Usar as idéias, sem limites, essa é minha busca diária!

Demorei anos para finalmente entender que não apenas gostava do artesanato; o artesanato já fazia parte da minha vida. Demorei para aceitar; demorei para assumir que também poderia ser feliz trabalhando com minhas criações, com minhas mãos, e, o melhor de tudo, inspirar artesãs de tantos segmentos distintos a buscarem seus sonhos! Hoje o artesanato é minha profissão, e disso muito me orgulho!

Obrigada Círculo, que nos inspira diariamente, e conspira para realizar nossas criações artesanais com produtos sempre inovadores, coloridos e incríveis. Sou feliz em fazer parte dessa família!"

sábado, 6 de setembro de 2014

Olha a feira, freguesa!!!!!!

Tudo começou em 2006 (acho que já contei essa história, mas vou contar de novo); nos meus trabalhos de artesã, comercializava minhas peças em feiras de Brasília; costumava produzir peças de Natal e Páscoa. Porém, havia uma inquietação no coração; queria produzir algo que ultrapasse as festas comemorativas, algo que perdurasse o ano todo, algo " muito lugastal". À época, ganhei uma cópia xerox de uma publicação japonesa, com um molde de maçã, e resolvi experimentar. Ajustes daqui, mistura de cores e estampas  dali... e logo minhas maçãs ficaram bem bonitas e com o meu jeito - estampas misturadas e cores em abundância. Então pensei: vou fazer uma cesta de frutas; mas pensar não é fazer... e daí seguiram várias semanas até que as frutas saíssem com jeito/estilo/formato verdadeiro de frutas. 

Eis que surgiu a primeira oportunidade de mostrar meu trabalho, e as frutas lugastal coloriram as páginas da revista Faça&Venda, produzida pela querida Rita Paiva, hoje produtora da revista Make. Eis que surgiu (parte II) o primeiro post desse blog - leia AQUI.


Impossível conter minha alegria; os vários exemplares que comprei na banca de revista viajaram para a casa da mãe, das avós, e das amigas. Minhas frutas estavam coloridas, diferentes, e poderiam representar meu trabalho o ano todo. Como inquieta sou, logo veio a vontade de produzir os vegetais, e em breve nasceram a beringela, chuchu, pimenta, milho verde, a abóbora. A técnica era a seguinte: comprava os legumes "de verdade", levava para o ateliê e entre tardes de testes, costuras, num vai e vem constante de fazer/desmanchar/refazer, cada peça foi ganhando seu formato. Meus suspiros de amor e dificuldade para abóbora e milho verde, sem dúvidas as peças que deram muito mais trabalho na criação. 

E aquela inquietação falava alto - era hora de padronizar a produção - costurar muitas peças com o comprometimento que saíssem iguais em qualidade, cor, tamanho. Procurei o Sebrae/DF em busca dessa qualificação de produto; trabalhei com afinco, e não demorou para ser convidada a expor minhas peças na feira Paralela Gift, em São Paulo - essa foi a primeira experiência de mostrar meu trabalho num evento de grande porte. 

Daí a história tomou seu rumo - as frutas e vegetais lugastal pegaram a estrada - participei de muitas outras feiras, e com elas conquistei clientes que me acompanham no decorrer desses anos. Num curso de design de produto, qual foi o produto que trabalhei??? As frutas e os vegetais, que ganharam roupagem mais sofisticada e proporcionaram minha primeira exposição individual (que foi um fracasso de público! rsrsrsrsr - prova de que as  velhas e boas peças feitas em tricoline perduravam no gosto das freguesia! E com elas segui minha história, decorando mesas, árvores de natal, festas, ambientes em lojas, pousadas e hotéis). Sim, a  tradicional "feira da lugastal" seguiu decorando lares, ilustrando matérias na mídia, e levando cores e diversão pelo país. Não há coisa mais gostosa do que escutar "tenho suas frutas na minha casa há muitos anos!" - isso é fruto de trabalho, de esforço, de dedicação.

E a  pedidos de clientes e alunas lugastal, a coleção voltou! Têm peças lindas e coloridas pra decorar a casa, e apostilas pra quem deseja produzir a sua própria feira. Pra decór de setembro do estúdio lugastal, uma feira completa te espera!


Passa na loja virtual e confere os projetos, compostos de foto, explicação detalhada de passo-a-passo e moldes em tamanho natural.


terça-feira, 2 de setembro de 2014

as cores do meu mundo!

(arquivos pinterest)

Fico louca quando penso no quanto a rotina engole os dias. Tenho aquela sensação de que o tempo voa, de que há tantas coisas que gostaria de fazer, às vezes um sentimento de impotência por não realizar tudo o que gostaria. Sob outro ângulo preciso me convencer: tenho mente inquieta, e quanto mais tempo eu tiver disponível, mais e mais ideias e projetos vou querer realizar; logo, não é questão de tempo, minhas inquietações são absolutamente saudáveis para o meu perfil. 

Não me considero inconstante, tampouco bipolar - como qualquer pessoa, oscilo saúde, humor e disposição em doses hormonais; muitas vezes controlo com mais segurança, noutras não - exatamente a vida como ela é! Também não sei se eu gostaria daquela vida falsa que muita gente finge ter - só sorrisos em momentos únicos de extrema felicidade. Felicidade, pra mim, é viver uma vida normal, e entre a normalidade do meu dicionário, incluo momentos de lágrimas, ansiedade, saudade, dificuldade, conquistas, frustrações, orgulho, e, é claro, alegrias.  E nesse vai e vêm dos dias, também oscilo entre viagens constantes e períodos de rotina, do tipo levantar muito cedo, levar filhas no colégio, organizar a casa, sair pra trabalhar, cumprir as tarefas do dia, voltar pra casa, etc, posso afirmar que, da mesma forma como adoro fugir da rotina, também  adoro viver sob seus efeitos.

Curto cada pedacinho do meu lar, o que não significa dizer que ele é perfeito. Como a vida, meu lar tem bagunças, tem cantos que adoro, outros que preciso arrumar, limpar, e aí por diante; mas é o meu espaço, e não há lugar no mundo onde eu  me sinta tão bem! Cada pedacinho da minha casa faz parte da minha história, com meu marido, com minha família. Têm dias em que eu gostaria de passar o dia inteirinho em casa, fazendo tudo aquilo que muitas vezes me falta tempo, mas meu ritmo de ariana não me permite pular um dia de trabalho. 

A verdade é que, todo final de tarde, quando me aproximo de casa, posso olhar a luz acesa pela janela e me dá uma sensação muito boa de conforto; em poucos minutos estarei lá dentro, no meu mundo, no meu ninho; entre as muitas cores (muitas delas descombinando entre si), numa linguagem que me faz sentir bem!

terça-feira, 26 de agosto de 2014

up!


(foto Glau Macedo)

Não me considero uma pessoa monotemática, mas, como no último post, falarei novamente sobre os filhos, mais precisamente sobre o dia em que os filhos saem de casa, e vão para longe - muito longe. Sendo ainda mais clara, quero dividir a dor desse momento em que o mundo "engole" os filhos da gente!!!! 

Sabe aquela conversa bla bla blá de que "criamos os filhos para ao mundo"?? Pura mentira! Eu até concordava com essa bobagem, dividindo minhas guriazinhas nas férias com as avós, a família, os amigos; achava salutar. Até que um dia, mais precisamente ontem, o mundo, este universo poderoso de oportunidades e descobertas, levou minha Laurinha para uma experiência de estudos muito longe de casa - mais precisamente, longe de mim. Na verdade ele não levou... ela foi por vontade própria; a realidade é que o tempo passou, meus bebês calçam tênis n.38 e cá estou em busca de entender o que é óbvio - os filhos devem seguir seus caminhos. 

Dias de coração apertado nesse processo antes-durante-depois despedida (vocês sabem, eu odeio despedidas!!!). Então tá... a vida segue e amanhã é recém quarta-feira!!!! 

................................................................................

P.S: senti saudade!!! O blog lugastal foi hackeado, e essa "visita" indesejada gerou estragos; por isso, fiquei intermináveis 20 dias fora do ar, contando as horas pra voltar. Feliz em estar de volta!


terça-feira, 5 de agosto de 2014

o que realmente vale...

Já falei várias vezes no blog - os aniversários na minha casa nunca passam batidos - sempre se dá um jeitinho de comemorar, independente de que forma. Não me venham com conversa de falta de dinheiro, estou muito ocupada ou blábláblás do gênero - nada é motivo pra passar em branco o aniversário dos filhos, afinal, saúde é uma bênção e precisamos, sim, agradecer e confraternizar!

Em março, quando a caçula Lulu assoprou 13 velinhas, a mãe dela estava numa correria louca; mais precisamente, a data festiva aconteceu um dia (SIM, APENAS UM DIA) após a inauguração do estúdio lugastal na casa nova. Mas o que a aniversariante tinha a ver com inauguração de casa nova, cansaço da mãe ou assuntos afins? NADA. Festinha surpresa a aguardou ao chegar do colégio, no maior estilo do improviso e correria - uns balões distribuídos pela casa; comes e bebes deliciosamente preparados pela pizzaria - viva a tele entrega. E a diversão rolou sem restrições!!!!

E parece que foi ontem (e não foi???); eis que os filhos insistem  em crescer... pra mim a Laura a recém fez 15 anos (tem vídeo do makinf off dos 15 da Laurinha no canal lugastal do youtube - clica AQUI); mas na semana passada, os 16 bateram na porta de casa. A dupla (de filhas que insistem em crescer) estavamcomigo em São Paulo (yes... eram férias escolares, mas penso que os filhos têm de saber o quanto a gente rala pra cuidar deles; por isso, eles podem trabalhar conosco também, não podem?). Voltando ao assunto sem perder o foco em 3...2...1: último dia da feira Mega Artesanal, mais de 120.000 visitantes na feira durante os 5 dias, e a quase aniversariante COMUNICA: "mãe, segunda vamos fazer um piquenique". Silêncio, jurei ter ouvido vozes... chegaríamos em casa domingo à noite, casa fechada, geladeira vazia... quais as possibilidades de acontecer um piquenique de aniversário na segunda à tarde? TODAS! Ela é minha filha, e, como eu, tem mente inquieta e, juntamente com a irmã, pôs as mãos na massa! Tarefas divididas - elas cuidariam dos comes e bebes, eu do resto (leia-se, decor de mamãe Luciana).

Eis que a segunda-feira chegou... começou gelada e ensolarada - presente da natureza! Pontualmente no horário combinado busquei a dupla e fomos para o parque; minha parte do combinado estava cumprida - hora de um rápido check list: 
1. toalha de piquenique OK (com tecidos lugastal, é claro!)
2. cesta de piquenique: sanduíches, chá e suco OK 
3. balões OK (posso estar exausta, mas não abro mão do quesito surpresa!)
4.  roupa confortável
5.amigas(os)  AND quem mais quiser convidar - OK
6. Sol-  OK (yes!!!!!)

eu acredito na força do dito popular "filha de peixe, peixinho é"


e "ontem"essa lousa estava na mesa dos 15 anos - assista o vídeo FICA, VAI TER BOLO!



O que realmente vale é a ENERGIA que colocamos em cada detalhe!


Que Deus te abençoe sempre, meu amor! Feliz aniversário!

quinta-feira, 31 de julho de 2014

velho jeans - bolsa nova!

Sabe aquele jeans que a gente adora mas simplesmente não-dá-mais-pra-usar? Sem sustos - não vou sugerir nenhum "momento desapego"... que tal dar aquela repaginada no seu querido, e transformar numa mini bolsa super bacana? No meu caso, esse aqui já estava condenado; tanto em casa quanto no trabalho, não tinha mais jeito! Ganhei até um jeans novo da irmã, na promessa de que eu não usaria mais o velho - promessa não cumprida, confesso! Não havia mais argumentos suficientes para usá-lo sem causar manifestações contrárias, ele realmente já tinha dado tudo a que se propusera!

Usei partes frontais do meu jeans, mas tu poderás usar também partes das pernas ou do bumbum. No caso desse projeto, ambos os bolsos podem ser aproveitados para guardar celular, etc. 

Então  mãos a obra, use a imaginação e solte a criatividade! 




(o pap completo está no blog Minha Singer - clique AQUI)

terça-feira, 29 de julho de 2014

quando as palavras faltam, o olhar responde!


Há quase duas semanas vivi uma experiência ainda inédita na minha história profissional - passei 3 tardes e 3 noites juntinho de um público ainda desconhecido. Já tinha participado de programas ao vivo, mas tanto tempo assim, confesso que ainda não. As tratativas com a produção do portal EduK para a realização do meu curso eram alinhavadas há bastante tempo; até fecharmos as agendas, viagens etc. Primeiramente tive o prazer em recebê-los no meu estúdio, em Porto Alegre, onde gravamos o teaser da campanha. Depois, me recepcionaram com um carinho imenso no estúdio EduK em São Paulo. Posso afirmar que trabalhar com essa equipe foi um privilégio, e, tenho certeza, uma conquista mútua, que refletiu diretamente no resultado do trabalho - uma "chuva" de carinho vinda de todos os lados.  A cada aula, sentia a conquista do coração de cada uma de vocês - esse sentimento me era nítido e muito presente, traduzido nas  mensagens que chegavam em todas as redes sociais lugastal.

Demorei alguns dias para retornar as mensagens recebidas pelo email, facebook e demais redes sociais; naquela semana estendi as horas da noite escrevendo uma a uma... e se porventura alguma ficou sem resposta, recebam minhas desculpas - quero retribuir todo esse amor! Eu  mesma cuido das redes sociais lugastal, e essa tarefa não divido com  ninguém - é aqui que fico em contato direto com minhas alunas e clientes. As fotos que posto abaixo vêm chegando dia-a-dia, com  bonecas únicas, criadas pelas alunas internautas que dividiram comigo os três dias de aulas na EduK; e logo chegarão as fotos das alunas que compraram o curso lugastal na EduK (está disponível no site - clique AQUI)

Após os 3 dias de curso ao vivo, voltei rapidamente para Porto Alegre, e 3 dias depois já voltava a São Paulo pra encontrar todo esse público querido na feira Mega Artesanal. Por lá fiquei a semana, em 5 dias ininterruptos, do início ao fim, onde pude sentir todo o amor e confiança que conquistei em cada coração. Não há palavras que descrevam essa emoção, e nada me resta a não ser AGRADECER, pelo meu trabalho, pela minha saúde, família, e oportunidades. As conquistas são inerentes ao esforço, à ética, e refletem diretamente nos resultados - amor e carinho não se compram, se recebem gratuitamente - coisa de empatia, entendeu? 

Me perdoe quem conjuga o verbo cobiçar, mas carisma é resultado de sentimentos espontâneos, e isso ninguém me tira! Sempre peço, em minhas orações, saúde e perseverança para seguir sempre firme a minha história com vocês; e como tenho MUITA, mas muita energia gostosa a meu favor, só posso agradecer e dizer "Deus te dê em dobro tudo aquilo que me desejas"! Muito obrigada a todo o público que acompanha os projetos lugastal - o carinho de vocês é incrível e ilumina meus dias!

          um beijo,  Lu Gastal...


Fotos de bonecas lindas que estão nascendo por todos os lares criativos, enviadas para o facebook.com/lugastal






segunda-feira, 28 de julho de 2014

Pode chegar, Teresa!

Está aberta a temporada de futuros bebês no pedaço! No ano em que serei titia mais uma vez(eba!!!!), enquanto meu sobrinho não chega, foi a vez de celebrarmos a chegada da Teresa, filha dos queridos amigos Carol e Edu. Festa boa, daquelas no maior estilo "a vida como ela é" - simples, gostosa e divertida! Coube à mãe da Teresa a escolha do tema - PATINHOS; coube à "tia Lu" (essa que vos escreve) a decór da tarde; coube à família da Carol e do Edu a animação da tarde.

Missão dada - missão cumprida - o chá da Teresa ficou uma graça - tinha até bergamotas (traduzindo para os não gaúchos - mexerica - fruta perfeita para se comer no inverno gaúcho, em tardes de sol). 

Os patinhos são da minha coleção pessoal (sim... eu coleciono patinhos de banheiro!); lousas e acessórios disponíveis no estúdio lugastal e loja virtual (clique aqui), e fotos da outra "tia da Teresa", Thandra  Leães!


   
  ( O Francisco chegou primeiro na casa, logo, não podia ser esquecido nesses festejos!)


Parabéns querida Carol, é sempre muito gostoso estar com vocês!


domingo, 20 de julho de 2014

Salve o 20 de julho!



Adoro o 20 de julho! Lembro desde a época da adolescência, quando a data era lembrada sempre num dia gelado das férias de inverno. O tempo passou, alguns amigos vieram, outros se foram. É engraçado, mas a vida com suas mudanças malucas muitas vezes afastam ou aproximam as pessoas, independente das distâncias. Muitas pessoas culpam a distância pelo fato de perder seus queridos pelo caminho, mas não é verdade... só perdemos quem queremos, da mesma forma como conquistamos quem queremos; é uma questão de dedicação mútua. Ok, hoje as redes sociais ajudam muito o reencontro de pessoas que perdemos pelo caminho, mas cabe apenas a elas a opção de escolher ou não restaurar uma amizade antiga.

Vivo as amizades à moda antiga;  meus amigos me são muito especiais, e como qq relacionamento tem seus problemas, sigo a ideia de que pequenos desajustes devem ser discutidos olho no olho. Nada melhor do que alguém que entende o teu silêncio, sem encher o saco pra questionar qual o motivo, ou quando liga só prá dar um oi e saber notícias; assim, sem  interesse, apenas baseado no princípio mais salutar de uma verdadeira amizade: a reciprocidade. Pra mim um relacionamento é como um contrato, tem de ser vantajoso e valioso para ambas as partes - não há nenhuma assinatura expressa, nem rubrica nas primeiras páginas, mas as cláusulas de confiança estão lá, em letras de tamanho legível para o entendimento de cada um, e em caso de qq deslize, não há necessidade de se eleger um "foro para dirimir quaisquer divergências provenientes desta convenção", uma boa e sincera conversa resolve qualquer pendência (se for acompanhada de um chopp com batatinha frita, melhor ainda)!. Simples assim, quase que uma "manutenção diária pós conquista".

É à gente que cabe a eleição dos nossos amigos; os "verdadeiros", os "mais ou menos", os "do peito" (na alegria e na tristeza), os de "comer pizza e tomar chopp", os "da faculdade", "do colégio", os “do facebook” e por aí pode ir uma interminável lista. Muitas vezes são totalmente diferentes, de tribos e estilos distintos, mas nem por isso deixam de ocupar um espaço especial no nosso coração. Divergências de estilo, política, de futebol, musical, etc etc etc; não importa, o que vale é a fidelidade!!


(post para blog Elo7 - 20 de julho - dia do amigo)