domingo, 2 de outubro de 2011

artesanato X craft

O assunto é discutido em muitos grupos e segmentos dos quatro cantos desse Brasil; ser artesão passou a ter outra conotação ou o craft é apenas uma palavra "americanizada" para designar trabalhos manuais?  A terminologia tem dado o que falar, e as interpretações são as mais variadas possíveis!

Afinal, o que difere o trabalho do crafter e do artesão? Existe, na verdade, alguma diferença perceptível, ou seria apenas uma nova denominação no mercado artesanal? Não será o craft um artesanato contemporâneo, que tem a seu favor ferramentas tecnológicas que proliferam-se com facilidade, como blogs, flickrs, lojinhas virtuais? Lembrei de um texto muito bacana escrito pelas "superzipers" Claudia e Andrea: "O artesanato invadiu a web? Sim, invadiu. E dizemos mais. Invadiu a web e mudou de nome. Virou…..craft!". O texto é bem interessante e vale a pena!

 
Na minha opinião, o que move todos aqueles que desenvolvem atividades manuais, é, sem dúvida, o amor ao que fazem, e isso independe de nomenclaturas ou apelidos pré determimados - processos criativos decorrem, necessariamente, de inspiração. Se o produto será comercializado ou não, ou de que forma será vendido - numa lojinha on line, numa feira de bairro, num estabelecimento comercial ou mesmo no famoso "boca a boca"; não importa; o que vale é que o mercado nos apresenta, cada vez mais,  peças oriundas de processos inventivos e com resultados únicos

Nada pode (ou deve) tirar o valor do produto, se este, é claro, for desenvolvido com preocupações básicas como qualidade, preço competitivo e, sobretudo, criatividade (se for sustentável, então.. perfeito!!). Nada pode (ou deve) tirar o glamour do trabalho, seja feito por uma crafter, ou por uma artesã.

O limite entre ambas palavras é muito mais conceitual do que palpável. Foi-se o tempo em que o artesanato (ou craft, como quiser chamar...) era desenvolvido apenas por mulheres como passatempo ou complemento na renda familiar. Homens descolados e criativos têm apresentado, sim, produtos muito bacanas no mercado cada vez mais intolerante à peças made in China, e sedento por novidades produzidas da maneiras mais sustentáveis e ligadas ao futuro do planeta.  O mercado pede criações diferentes, que fujam do que encontramos nas vitrines de todos os shoppings do país; um detalhe, um acessório único, um objeto, conferem exclusividade e estilo à quem acredita que a simplicidade não neutraliza a beleza.


 Momento "cá com meus botões": o que, afinal, eu sou? Há alguns anos, para poder comercializar meus produtos com segurança, fiz a carteira de artesã. Ainda hoje eu invento, crio, produzo, comercializo (hoje como empreendedora), fotografo, divulgo, partilho. Sou artesã ou crafter? Ou, ainda, ambas as denominações? Não importa! Eu me orgulho em trabalhar com artesanato, e denominações à parte, o que vale é a energia que deposito nos meus projetos! E você???


Então, vamos deixar esse post interativo?!
Escrevam e opinem, quem sabe, juntos,  a gente consiga chegar num denominador comum...

24 comentários:

elisabeth disse...

Trabalho como artesã há mais de 24 anos, hj desenvolvo vários projetos, alguns q incluem reciclagem. Acho q a denominação Crafter, só é uma forma bonitinha, atual ... talvez quem a criou queira fugir do preconceito do passado. Eu assumo sou ARTESÃ com muito orgulho, não tenho carteirinha mas trabalho e vivo do meu trabalho, amo o q faço !!!

Salete disse...

Oi Lú, crafter ou artesã? Não sei, só sei que vivo grávida de idéias e o jeito é colocar em prática tudo que me vem a cabeça, mesmo qdo não dá certo, pelo menos eu tentei sabe, daí sigo para a próxima criação e penso que a maioria de nós crafters ou artesãs somos assim. Bjs, Salete.

Valérie Roberto disse...

Lu, seu texto vem de encontro a um questionamento que tive hoje. Mostrei meu trabalho para duas pessoas amigas. Uma senhora dona de facção de malha e meu tio, gerente de uma fábrica de colchões. Nos dois casos, eles queriam aumentar a produção, agilizar o processo, diminuir a quantidade de material.

Isso tudo vai no caminho contrário do que a minha e, pelo pouco que a conheço, a sua proposta.

Como vc disse, as pessoas hoje fogem da mesmice chinesa. Queremos o detalhe, o amor, o carinho na produção e porque não dizer, a peça única, só minha.

Então, eu acho que o que importa não é a denominação (artesã ou crafter), mas sim todo o carinho que vc coloca no seu trabalho.

Um beijão!

Fernanda Moraes disse...

Oi Lu!

Acredito que, antes de sermos artesãs/crafter, somos artistas, pois apreciamos o belo e nos expressamos através das mãos e dos sentimentos. Temos a sensibilidade para observar e a agilidade para produzir peças únicas, com nossa própria identidade, mesmo que copiadas.
A nomenclatura não importa, a modernidade sempre vai fazer alterações, mudar conceitos e rótulos, mas a arte e o amor pelos trabalhos manuais nunca perderão o seu valor.
Bjksss!!!

Maria Eugênia disse...

Acho que realmente a denominação não importa tanto quanto a qualidade e respeito que temos quando criamos, produzimos e comercializamos nossos produtos. Tenho um ateliê de patchwork, uma pequena loja e dedico todo o meu tempo e energia ao meu trabalho. Em comum, o amor pelo que faço!

Marcelo Darghan disse...

Hello Lu,
Adorei o texto !!! É Isso mesmo, o lance é fazer com amor e executar com sua energia aquele trabalho que terá a sua cara, Seja lá para o que for.

Fico sim irritado com as pessoas que têm vergonha de dizerem ARTESÃOS e para isso precisam de outros titulos como Crafters, Designers, Empreendedores e afins.

O barato de ser Artesão é ser tudo isso !!!
Vamos sim botar lenha nessa fogueira.
Beijos de seu fã,

Marcelo Darghan

Márcia Lima disse...

Meninas, ser crafter,artesã,ou empreendedora do ramo de artesanato, acho que o nome não importa, o que deveria valer é o atendimento pessoal, é fazer cada peça com carinho e dedicação, é deixar o cliente ou alguém que você presenteia com SEU trabalho manual feliz e voce mais ainda na hora que um trabalho seu troca de mão.(Mas muito disso está se perdendo por conta do "financeiro" ....)

Monica Colocci disse...

Crafter ou artesã não importa, o que importa é trabalhar com amor, dedicação e seriedade. Fazer de cada peça única em beleza e acabamento. Adorei seu texto. Beijos

Artes Reforever's disse...

Concordo plenamente com a idéia de craft ou artesã,tambem fiz a carterinha da SUTACO,tem até nota fiscal e tudo mais,mais,tem porém não temos carteira assinada,se vc quiser precisa pagar INSS,senão não aposenta,e se tiver muito doente ou com as tendinites da vida de craft apertar como vc fica afastada????
e o 13 salário,não existe,e férias se não trabalhar e vender bem o seu peixe fica com dívidas??e agora tem que trabalha mesmo nas férias,gual a mim encomenda para as férias!!
BORA trabalhar,não é mesmo???

Handmade with love... disse...

Lú, texto MARAVILHOSO, mais uma vez... Beijão e boa semana! Iara

KARINE disse...

Oi Lú!!!Eu sou filha de artesã, neta de costureira e faço pequenos trabalhos p mim ou dar de presente,eu acho que somos artesãs, eu não gosto desses títulos derivados de outra língua, afinal vivemos em um país lindo, somos brasileiros e nossa língua é o português, então eu amo tudo sobre artesanato, pois cada um coloca um pouco de si no trabalho e a peça fica única!!!Te adoro e admiro muito!!!bjossss....Karine!

Angélica Cirne disse...

Me orgulho de a muitos anos me denominar Artesão, faço parte de associação a tantos outros, carteirinha e tudo mais, pra nosso cliente isso não importa, importa é a qualidade do nosso trabalho, que quando feito com cuidado, carinho e amor tem resultado. Mas infelizmente pra órgãos que organizam feiras e eventos nem sempre todos os trabalhos manuais são considerados ARTESANATO, aqui em Pernambuco há uma grane feira anual que na hora de selecionar os produtos para serem vendidos nela fazem um rigoroso processo de seleção e os artesão do estado são até meio que discriminados se fazem artesanato mais moderno, como scrapbook, biscuit, pintura em caixas... então a denominação aí não serve, são sou ARTESÃ porque não faço escultura com barro, renascença ou entalho madeira.

Valquiria Lima disse...

Bom dia Lú!
Como diz nosso querido Marcelo Darghan! (adoooro)
Ser artesão é ser tudo isso!
Eu me identifico como artesã,há mais de dez anos eu faço,eu invento,eu crio,eu copio,eu modifico,tudo artesanal...
E dos nossos verdadeiros artesão do Brasil,lá do sertão,do interior,do mato,onde não existe tanta modernidade,os índios,as bordadeiras,as rendeiras...Seria certo chamá-los de crafters?
Eu acho muito moderno para uma coisa muito antiga,o "artesanato".
Mas como cada um tem seu livre-arbítrio,podemos chamar a nossa arte como quiser...
Beijos e uma ótima semana.Val.

Sílvia Rosa disse...

Oi Lú, você já assitiu ao desenho Thinker Bell? eu tenho uma filha de 5 anos, então já ví várias vezes... e sempre me lembro deste filme, pois cada uma das fadas tem um talento e ela, descobrindo o seu "artesã" achou que não era tão importante quanto os outros... e lutou muito para tentar executar outras atividades, até que se rendeu. E descobriu que fazer o que se sabe, com amor, não tem preço.
Então "mãos de fada", o nome que se dá, não importa, importa é ser feliz, se realizar e espalhar nossas artes, que levam um pouco do nosso amor, por aí...
Beijinhos e lindo dia.

Tricia disse...

Oi Lu, adorei o texto. Particularmente eu não gosto do termo craft, sei lá, acho meio americanizado. Prefiro o termo artesão (ã). Acredito que o artesão é antes de mais nada um artista pois ele usa a matéria prima,dedica tempo, energia e consegue transformá-la, dar seu toque pessoal... Eu me descobri artesã há pouco tempo e adoro o que faço. Sou uma artesã feliz!!! Saudades. Tricia (ps: depois visita meu blog, está inaugurando!!) bjs.

bela silveira disse...

Oi garota!!! Adorei o texto e penso que pouco importa a denominação do que somos, o importante é o que fazemos, com prazer, dedicação, carinho e muito amor e disso tu entendes muito bem!!!
Obrigada por tanto carinho, adorei passar o sábado aí, as oficinas maravilhosasa... voltei artesã... crafteira... sei lá, mas cheia de boas energias e muitas inspirações!!!
Bjo carinhoso e uma ótima semana!!!

rosiarts disse...

Olá querida Lú, para mim indiferente do nome o que importa mesmo é o amor ao que se faz. O nome não é o mais importante, artesão ou crafter, geladeira ou refrigerador, sabão em pó ou lava roupas... Enfim, no passar dos tempos muda-se nomes e outas coisas mais. Só não podemos é perder o prazer de viver. Que o Senhor te abençoe sempre, bjus. Rose.

Rosana Sperotto disse...

Lu, essa turma que tem coceirinha nas mãos parece que se importa mesmo é em dar forma às suas "viagens criativas, né? Querida, lembrei de ti, da tua loja e vitrines encantadoras com o trabalho dessa artista, crafter ou artesã de Gramado, que não sei se já conhecesses: http://reginajoris.blogspot.com/
Beijão!

Amora Doce disse...

Oi Lu!
Amei o post!Realmente é uma coisa que confunde a cabeça da gente!Mas nomenclaturas a parte eu amo criar, inventar, inovar e até copiar (por que não?? - no sentido de fazer parecido, mas do meu jeito!).O que importa realmente é gostar do que se faz e fazer com o coração!

Beijos,
Tânia

Gelza Wink disse...

eu acho que devemos valorizar a palavra artesã. Já temos que onviver com tantos "rotulos" em inglês por exemplo, que nossa identidade esta se perdendo... Eu tenho orgulho de dizer que sou artesã, não me sinto bem falando craft. Essa palavra vem do pessoal que faz desing e eles já se formam com esta mentalidade... SOU ARTESÃ SIM !!!!

Entre Feltros e Tecidos disse...

Olá Lu...boa tarde!
Vc e seus trabalhos estão maravilhosos na MAKE desse mês, parabéns!
Bjks um ótimo final de semana.
Marília

Cláudia=^.^= disse...

Olá Lu
Também ficava com essa dúvida, crafter ou artesã. Nas conversas qdo fala-se crafter, a maioria das pessoas não entendem, artesã é bem mais fácil.
Hj em dia só desvaloriza o trabalho artesanal quem tá muito por fora. Conversei outro dia com uma tia minha q disse q o patchwork tava fora de moda, vai vendo!!!! ela é q está completamente desinformada a respeito dos trabalhos feitos por artesãos super criativos e contemporâneos...
>>>>>>>>>>>>>>><<<<<<<<<<<<<<<<<<<
Os espelhos são usados para ver o rosto; a arte para ver a alma. George Bernard Shaw
>>>>>>>>>>>>>>><<<<<<<<<<<<<<<<<<<
Todas as artes contribuem para a maior de todas as artes, a arte de viver.
Bertold Brecht
❤ Bjk

Meiroka disse...

puxa, Lu...faz tempo que te sigo e nunca tive muita coragem de comentar..sei lá pq...bobagem né? mas antes eu era só leitora e agora sou blogueira e te sigo ainda mais...mas este teu post foi tão legal e tão polêmico ao mesmo tempo, né? Humm, adoro polêmicas, coisa de jornalista...pq sou jornalista por profissão, mas artesã ou crafter por amor...quem sabe um dia, o amor vai conseguir sobrepujar a obrigação da profissão! beijo! ótimo final de semana Meiroka

Anônimo disse...

Boa tarde Lu ! Sempre leio teu blog, mas é a primeira vez que faço um comentário, ou melhor, te faço uma pergunta : Eu trabalho com path aplique, faço panos de copa, jogos de toalhas com apliques em tecido e caseado a mão, posso me considerar uma artesã ? Aguardo teu resposta, porque eu gostaria de participar de Feiras de Artesanato.
Obrigada, um abraço.
Carmem
Porto Alegre / RS