segunda-feira, 29 de agosto de 2011

os projetos

Sempre que possível curto passear por blogs que divulgam imagens alheias; acho super prático encontrar num só post o que há de melhor em imagens de determinados temas, postadas originalmente pelos quatro cantos do mundo. Eventualmente utilizo fotos de outros blogs, mais precisamente as uso quando quero divulgar algo interessante que vi, ou li; sempre que possível carrego a câmera e fotografo detalhes que me pareçam interessantes, para dividir aqui, em data futura e incerta. Por vezes, guardo fotos por muito tempo, e gosto de tê-las "na manga". Tenho as fotos desse post há alguns meses, e quando vi essas imagens, tive este exato pensamento:  escrever sobre projetos!

Está na wikipédia:
projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo.


De um despretencioso passeio num shopping à uma simples passadinha nos corredores de um supermercado (que aqui no sul chamamos de super!!!!), há detalhes que certamente foram pensados e preparados por alguém. Podem até passar despercebidos por muitos de nós, mas tenho a certeza de que em cada item, vitrine, prateleira, exposição, etc, há um projeto inicial, talvez um plano de negócios. Como noutras situações corriqueiras de nossas vidas, como um curso universitário,  casamento,  nascimento de um filho; mesmo que a gente não perceba claramente, há sempre uma ação, um "esforço temporário".

Pensei nisso quando, recentemente, me deparei com um carrossel - sem dúvida alguma, o mais belo que meus olhos tiveram o privilégio de ver. Naquele exato momento, lembrei das tardes no parque Tupy, quando esporadicamente passava por Cachoeira do Sul; no Nicolândia - Parque da Cidade, em Brasília, que eu costumava frequentar com minhas filhas. Lembrei de outro carrossel bem lindo, no parque Rodô, em Montevidéo. Mas voltando à esse carrossel que está nas fotos; naquele cenário tão lúdico que me remeteu aos pensamentos mais saudosos, que tipo de projeto haveria, senão um cálculo perfeito de engenharia, aliado a um design de bom gosto? Teria sido ele criado para entreter crianças, ou para fisgar de um adulto o brilho em seu olhar?  Ambos, pensei!


Num dia em que o tempo era todinho meu, pedi uma casquinha de sorvete italiano (misto) e sentei defronte o carrossel, observando atentamente o giro lento e o entra e sai da criançada (enquanto os pais fotografavam sorridentes durante a espera). Não lembro de quantos e quantos giros acompanhei até conseguir guardar essa imagem, do carrosel "todinho meu", mas aqui está a foto!

Então faço o convite, que tal um exercício inverso às imagens finais? Se tivéssemos o hábito dessa reflexão nas imagens mais casuais do dia a dia, certamente nosso coração seria mais doce. Quem imagina o trabalho de um artesão (sim, esse é verdadeiramente um trabalho artesanal), que imaginou, rabiscou, e esculpiu, lasca por lasca um grande bloco de madeira, certo de que dali nasceria um cavalo? Melhor do que isso, não apenas um cavalo, mas sim uma das peças principais do imaginário infantil, o astro principal de um carrossel!


Sabe-se lá quantos dias foram empregados nesse projeto; quanta paciência e energia foram dispensadas, quantos minutos, quantas bolhas nas mãos, quantas dificuldades. Não seria muito mais cômodo olharmos o cavalo a rodar sem pressa no carrossel, sem nos questionarmos esses detalhes?


A partir de um determinado momento, por algum motivo, um bloco de madeira, totalmente inerte, foi ganhando forma, e consequentemente, vida. De repente, quando tudo já parece belo, chegam as cores... ah, as cores sempre nos alegram!


 Talvez esse tenha sido o momento mais "artista" do artesão (me questiono, será que ele pôde brincar com as cores a seu critério, ou seguiu algum projeto inicial que não poderia ser alterado? - prefiro pensar na primeira hipótese, a da pintura a seu livre arbítrio e sentimento).


Teria alguma mistura de cores não combinado entre si, de forma a fazê-lo novamente cobrir a peça de branco para uma nova tentativa? Quantos mais detalhes ocorreram nesse processo criativo? Quantas pessoas depositaram ali seu trabalho? Aonde teriam trabalhado;em conjunto, separadamente, num lugar amplo ou num pequeno ateliê?


Essa variação de "quantos, como, onde, de que forma", e o que mais nossa imaginação permitir, não nos serão  respondidas; os detalhes desse projeto certamente serão exclusivos de quem idealizou e executou esse carrossel. Cabe à nós imaginá-los, cada um de sua forma, intensidade ou vontade. Particulamente, visualizei pessoas executando um trabalho extremamente prazeiroso, o da criação, para posterior encantamento alheio. Se foi esse o desejo de quem cuidou do projeto, posso afirmar, ele teve êxito!
(será que sorrisos escaparam involuntariamente de suas faces, enquanto desenvolviam esse trabalho?)
 

Naquele parque voltei durante sete dias, e por alguns minutos sentei para namorar mais algum pedacinho que me escapara anteriormente. Trarei na lembrança, e com carinho divido aqui!


Nos primeiros dias de setembro, acontecerá em Gramado o Festival Brasileiro de Quilt e Patchwork. Essa será minha terceira participação no evento, e acho importante dividir pedacinhos do projeto lugastal, trabalhado especial e modestamente para encantar quem por lá passar. Impossível não comparar ao carrossel, pois coloco em cada um de meus projetos (mesmo que temporários), todo o meu amor e dedicação! O festival iniciará dia 7, e falaremos mais sobre ele por aqui!

12 comentários:

Monique Di Paula disse...

Você já pensou em ser escritora? Nossa foi envolvente a leitura, e acredito que foi feita com muito amor, como tudo o que você faz... Amei!
Espero que todos os projetos da minha vida, eu seja uma artesã dedicada e responsável pelo meu trabalho...Fazer com amor!!!
Bons projetos a todos nós!!!

MariBR disse...

Lu, Seu blog e seus escritos são realmente um dos meus destinos preferidos nessas navegações.
E então fico aqui pensando no exercício inverso ao resultado final do seu texto...
Terá sido ali no banco do shopping, de frente pro carrosel, numa mão a casquinha de sorvete e na outra uma caneta que rascunhou tudo isso? Terá sido à noite de frente pra telinha mágica de um lap top? Ou será que foi no balcão da sua loja, entre aquelas lindezas e cores?

Em tempo: tenho uma conhecida que possui um exemplar desses cavalos lindos na sala de sua casa. É lindo e inesquecível. Sem pintura, envernizado, poderoso, belo e inesquecível.
Beijos grandes!
MariBR

Amora Doce disse...

Oi Lu!!!
Sonhar é preciso...Aqui na minha cidade também há vários trabalhos executados em madeira por um talentoso artesão.No Natal até temos um presépio em tamanho real, esculpido por ele!Realmente é um trabalho fantástico que nos faz ver o artesanal com outros olhos!

Beijos,
Tânia Schoenfelder

Luciane Hernandes disse...

Adorei o post!
Obrigada.

Andreia disse...

Oi Lu,
eu vi um carrossel identico no navio Oasis of the Seas e fiquei encucada: de onde são as tuas fotos? Abraços, Andreia

Vanessa Maurer disse...

Eu AMO carrosséis... adorei ver as fotos dele em andamento na construção, assim como a sua linda descrição viu!
Beijos e suce$$o lá na feira Lu!

lugastal disse...

andreia, foi no allures of the sea (primo irmão do oasis).

Ana Maria disse...

Ameeeeeeeeeeei td por aqui!
Liiiiiindo!!! Já estou seguindo

Bjossssss

bela silveira disse...

Olá garota!!! Mesmo diante do tumulto da semana, consegues um tempinho pra nos brindar!!!
Quando li teu post, lembrei do texto da Martha Medeiros na ZH do domingo passado: A palavra
..."Falar e escrever sem necessidade de tradução ou legenda:"...
Tens o dom da palavra e consegues encantar a todos com teus textos de conteúdos sempre tão ricos em detalhes... adorei a comparação e sei exatamente o que representa neste momento!!! Olhos, alma e coração de artista em ação...tenho certeza que assim como com o carrossel, todos serão encantados com teus projetos, sempre maravilhosos!!! Um ótimo festival!!! Espero poder passar por lá...
Bjo carinhoso!!!

Enilde disse...

Lu, que viagem em amiga! Vc foi fundo, só faltou fotografar a árvore. Poxa mais é de uma beleza ímpar, a sua exposição. O PAP DO CAVALINHO. Certamente se eu estive com vc sentada no banco degustando o sorvete, entraria nessa sua viagem. Parabéns amiga. Esse dom pertence a pessoas sensíveis, que ainda consegue enxergar o amor em pequenas coisas. Qd vieres um dia em São Luís, procure conhecer a Casa de Nhozinho. Era um artesão que depois que ficou aleijado das mãos, desenvolveu ferramentas para que não parasse de trabalhar. bjokas.

Pura Ideia disse...

Nossa Lu , é realmente encantador seus posts , as fotos, suas palavras... não é a toa que recebe tantos elogios .
na verdade tenho, vc com minha musa inspiradora.
Sim ..pois tenho " Sonhado " Planejado" em abrir um espaço como o seu e seguir seus passos aqui em São Paulo ...
tenho visitado seu blog e me inspirado a ter forças e coragem para ir adiante nessa vontade incessante de realizar meu sonho .
Bom ...a um bom tempo , penso em te escrever e hoje com esse lindo Post conseguir me libertar ...
Bjs
Simone lam

Ana Cristina Caldatto disse...

acredite cavalinho de parque infantil é uma das peças que sonho em ter em minha coleção de trecos antigos...
sempre digo...um dia acho um acessivel ao meu bolso é claro!
grata por compartilhar a maravilha de fotos