quarta-feira, 6 de julho de 2011

patchwork na capital paulista

Escrevo direto do sofá da minha sala, já pensando em encontrar o caminho da cama. Na verdade, nesse exato momento tenho no colo, além do computador,  uma gatinha (linda) chamada Mina, que me acompanha nessas andanças "blogosféricas", que está esticada em minhas pernas, fazendo as vezes de uma bolsinha de água quente. Mas o que eu quero é dar uma "costuradinha rápida" sobre as duas feiras de patchwork que aconteceram em São Paulo, na última semana.


Concomitantes com a Mega Artesanal, os dois eventos (Semana de Patchwork do Senac e SP Patchwork Design) certamente animaram ainda mais a semana paulista. Deixei para visitá-las na sexta-feira, depois de já ter ouvido alguns comentários sobre cada uma delas. Penso, sinceramente, que muitos comentários negativos sobre as feiras devem ser ignorados, pelo menos é o que costumo fazer. No momento em que existe a organização de um evento, mobiliza-se uma equipe; vários expositores levam ao local o que têm de melhor a apresentar. Nesse sentido, sempre, absolutamente sempre, há o que se encontrar de bacana em qualquer espaço, desde que se tenha boa vontade e disposição. Criticar é sempre muito fácil, a pessoa vai lá, dá uma caminhada rápida, acha o movimento fraco, etc etc etc... e já sai falando que o evento é uma droga. Muitas vezes não pára prá pensar no tanto de trabalho que o evento demandou, ou, pior, há situações em que a pessoa sequer prestigia o evento e já sai falando o que sequer viu. Pois nessas histórias eu sou meio Poliana... sempre acho que há coisas boas a serem mostradas e descobertas, e isso depende apenas do olhar de cada um de nós.


Em ambos as feiras de de patchwork, encontrei artesãs que admiro, à frente de seus ateliês,  e lá estavam sorridentes e dispostas a mostrarem seus trabalhos e ideias. Clientes lugastal terão o privilégio de conhecer um pouquinho do que rolou por lá, aos poucos alguns pedidos chegarão na loja. Algumas novidades realmente me encantaram, e confesso que gostaria de ter tido mais tempo para prestigiá-las com calma (às vezes um oi rápido parece sinônimo de pressa, mas sempre possibilita mantermos nosso network em dia)! Adorei os dois eventos, e aproveito para parabenizar equipes de Fernando Maluhy, Zeca Medeiros e expositores dos  encontros pelo que apresentaram, pelo cuidado e bom gosto!



Ah, impossível  deixar de citar a exposição de trabalhos de Debbie Mum, ícone americano do patchwork contemporâneo. Num colorido que eu amei, panôs estavam dispostos no centro do evento no Frei Caneca. Simplesmente um show à parte! 


Enquanto finalizo a postagem, penso de que forma sairei do sofá sem acordar minha parceira de sofá, que ronrona  sem o mínimo constrangimento! E como já é quase meia-noite, e daqui a pouco em viro abóbora (congelada), boa noite!

8 comentários:

Ana Amélia de Oliveira disse...

Oi Lu,

como é gostoso ler teus textos.
Já estou embaixo das cobertas e não tenho uma amiguinha felina, apenas um lençol térmico. =/

Estou montando uma oficina de encadernação para o dia 16. Lá em BSB já conhecia todas as lojinhas de tecidos, mas aqui ainda estou um pouco perdida de onde comprar tecidinhos lindos para meus caderninhos.

Estou me organizando para ir sábado no bazar, te conhecer e reabastecer meu estoque de paninhso. Assim já posso indicar para as alunas sem medo de errar.

Bjcas e nos vemos no bazar, Aninha

Sonia Schlee disse...

Oi Lu,
Menina, lendo teus posts dá a impressão que te conheço há anos!!!
Às vezes fico rindo das semelhanças que temos, apesar de trabalharmos em áreas co-irmãs(no meu caso é pintura decorativa).
Também tenho uma "bolsinha térmica", uma poodle toy chamada Mila, e tenho síndrome de Poliana, sempre procurando ver o lado bom das coisas. Sem falar que também sou apaixonada pelo que faço, assim como você.
Moro e trabalho em Gramado. Quando subires a serra, venha me visitar, vou adorar te receber. Para saber onde fica meu atelier é só dar uma espiada no meu site www.malerhaus.com.br que tem um mapinha e, podes espiar também meu blog www.malerhaus.blogspot.com

Beijão da fã que não sabe costurar...
Sonia Schlee

Dani Tavares disse...

Oi Lu,

Concordo com vc em referencia as pessoas que falam mal dos trabalhos dos outros. Falar mal já é por si só um horror e ainda criticar um evento fica pior! As pessoas deveriam ter mais educação e respeito com o ser humano. Mas vamos voltar ao que interessa... O lado Poliana : Ser Poliana é ser feliz, é amar sem ver a quem, é ser justa consigo mesma!
Tão bom poder ser Poliana! A vida é mais alegre, colorida...
Bjs...

Rosangela disse...

LU TUDO QUE VOCÊ FALOU É A MAIS PURA VERDADE JÁ TRABALHEI EM FEIRAS EXPONDO MEU TRABALHO E SEI COMO É DIFICIL AGRADAR AS PESSOAS MAS A MEGA EU ACHEI UMA DELICIA TANTA NOVIDADE...E A GENTE SEMPRE ENCONTRA PESSOAS QUERIDAS ISSO SIM VALE A PENA BJS.

Márcia Lima Palamim disse...

Oi Lu!!!!! Sou eu aquela maluca que abordou você na Mega, toda feliz pelo inesperado encontro. Inesperado pois não sabia que você estaria lá. Para você eu não sei, mas como boa seguidora do seu blog, a sensação que tive foi a de revê-la, pois já me sinto te conhecendo faz um tempão. Adoro seu trabalho, sua espontaneidade, sua criativade, seu capricho. Não passei antes para falar pois aqui está a maior correria. O frio também chegou com tudo por essas bandas. Bem menos do que aí na sua terra, mas tabém muito congelante. E isso é muito bom, estamos trabalhando muito e baixando nossos estoques de lãs e fios de inverno. Bom, muito bom!!!! Adorei ver suas fotos das feiras de patch. Ah, e amei também você e as meninas todas capotadas na frente do atelier. A energia que você emana é muito gostosa. Deve ser muito bom trabalhar numa equipe assim. Beijos e muita criativade para todas.

Craft and Love disse...

Oi Lu Gastal,

Adoro o seu blog e principalmente a maneira como vc escreve. Parabéns e pena que moro longe, porque morro de vontade de conhecer o seu ateliê, mas quem sabe um dia...

Ás vezes, as suas mensagens me fazem refletir e é como se vc estivesse falando pra mim. Fiquei encantada com a sua história de vida. Sou sua fã.

Um abraço grande,
Paula

bela silveira disse...

Lu, estou sempre na espreita para ler teus posts, só que ontem, depois de passar o dia em Pelotas, me rendi ao ataque da gripe, que com este frio veio com tudo e não teve dó de mim, fui pro berço sem pestanejar... mas cá estou para curtir um pouco mais do que não pudemos ver de perto. No meio de clabbertanta coisa bacana, surpreende ver pessoas sem a mínima sensibilidade e não conseguirem contemplar...com os olhos da alma e acredito não entenderem ou não saberem o que significa feito com o coração...
Bjo querida e vamos, crafteiras de coração, admirar o que este mundo maravilhos das artes nos proporciona!!!
Bela

Baú da Dadá disse...

Oi, Lu!
Tudo tem o seu lado bom e, no caso particular das feiras, nunca as acho ruins, pois são sempre fruto de muito carinho, zelo e expectativa de agradar por parte dos expositores, e só a energia que vem desse desejo já traz bons frutos.
Se tiver um tempinho, dê uma passadinha aqui no Baú, ficarei feliz.
Beijos e bom final de semana friorento.
Renata