terça-feira, 14 de junho de 2011

Pra quem ama o que faz!

Logo no início de junho, numa semana de arrumações intensas da loja, comentei aqui que nova vitrine seria uma homenagem à quem trabalha com o coração.  Minha intensão era linkar ao tema AMOR, pois junho é o mês em que mais se vê corações e ideias apaixonadas por todos os lados, e peço desculpas aos namorados, mas meu verdadeiro intuito foi de homenagear quem ama o que faz.
 
Assim, com os arquivos de fotos clicadas por Eva Caroline - La Pomme, preparei as impressões que comporiam nosso "ateliê apaixonado". Talvez quem passe pela frente da loja veja os corações, mas não entenda exatamente do que se trata... mas quem lê o blog com certeza saberá o quanto me é importante fazer o que se ama!


Diversos corações feitos em arame, folhas de louro e marcela - uma erva muito tradicional aqui dos pampas, também usada para chá, com efeitos imediatos contra dores de barriga (segundo a opinião de  99 entre 100 mães gaúchas)!!!!

Outros itens incrementaram nosso "cantinho de boas vindas", dando um colorido especial à quem na loja entra. E, prá quem não pode chegar aqui pessoalmente,  aqui seguem algumas fotos da nossa vitrine desse mês! Ainda preparei uma colcha com retalhos de flanela, com tons bem "invernosos" e estampados com corações... mas essa peça não aparece na foto (infelizmente, esqueci de fotografá-la!).
  

Ainda, pensando nos que trabalham com o coração, deixo aqui o texto publicado no blog do Arthur Bender, que fala justamente sobre PAIXÃO PELO QUE SE FAZ. Quem ainda não visitou o blog, sugiro que reserve muitos  minutos para essa leitura, pois têm temas muito legais por lá!


Cada vez mais tenho acreditado que pessoas apaixonadas pelo que fazem são o grande ponto de desequilíbrio para o sucesso das organizações. Penso muito sobre isso e estou continuamente me perguntado se estou certo ou não acerca dessa crença na força da paixão como principal fator de sucesso nas organizações.

Talvez nem eu nem você nunca tenha certeza porque este assunto é complexo e depende de uma série de fatores que envolvem não só o universo profissional, a época que vivemos, o ambiente empresarial, o grau de competitividade do setor, a cultura do lugar, mas, essencialmente porque envolve pessoas por trás dos crachás. Pessoas por trás dos profissionais. E esta acaba sendo uma variável incontrolável: pessoas.

Por força da profissão, leio tudo o que consigo descobrir sobre novas técnicas de gestão, sobre a busca da excelência através de novas tecnologias, sobre a busca de métodos e ferramentas de inovação para as empresas. Mas também por força da área que atuo, convivo com muitos profissionais na minha empresa e nos meus clientes, em palestras e seminários em diferentes setores e continuo acreditando que seres humanos apaixonados pelo que fazem continuam sendo imbatíveis como fator de sucesso para as organizações. Você não acredita? Eu acredito muito nisso.

Acredito mais. Acredito que um grupo apaixonado é capaz de levar “no braço” organizações inteiras, mesmo que desprovidas de modernos métodos e ferramentas de gestão. Acredito que gente que ama o que faz produz muito mais que a media. Acredito que gente que é apaixonada pelo que faz produz não só mais, mas produz também com melhor qualidade. Entrega mais. Gera mais valor para as organizações e para eles mesmos.

Como acredito também que gente apaixonada pelo que faz, reunida numa organização, é capaz de encontrar o rumo certo mesmo onde aparentemente ninguém sabe ao certo se as coisas terão um rumo. Gente apaixonada encontra mais cedo ou mais tarde um rumo e acerta as coisas.
Mas a maior diferença, acredito eu, venha da enorme capacidade que os apaixonados pelo que fazem têm de acreditar que o que realizam diariamente – não importando o quê ou o tamanho da tarefa – DÁ SENTIDO ÀS SUAS VIDAS. E desse sentido de realização, desse “encaixe”, vem o brilho nos olhos, vem a energia, vem a resiliência, vem o inconformismo e a vontade em transformar.

Como desse sentido de realização vem a vontade constante de superação, vem a busca de aprender mais, de se mobilizar e de buscar mais e de fazer um pouquinho mais. Vem a vontade de fazer diferença. E desta última, a fonte de mais paixão que transforma lugares, organizações e outras pessoas à volta.
Assim, acredito que gente que ama o que faz, ama, porque encontrou este sentido maior – este sentido de construção de legado. Esse sentido que transforma trabalho em missão, que transforma emprego em realização, que transforma empreendimentos em ideais.
Por isso, creio que a transformação das organizações não está no esforço da motivação coletiva, no esforço de fazer todos “vestirem a camiseta da empresa”, mas no esforço de tentar fazer com que cada um encontre o seu próprio sentido, a sua “própria camisa para vestir”. Ou seja, o esforço deve ser o de fazer com que cada um busque o seu encaixe perfeito, o seu “sentido maior”. Que cada um descubra qual é a sua paixão.

Meu conselho: mantenha e alimente a chama da paixão dos apaixonados e ajude os sem paixão a encontrarem a sua. Seja lá onde ela estiver. Mesmo que isso seja fora da sua empresa.


 
 

  

7 comentários:

mArCeLe disse...

A paixão pelo que faz acaba contagiando a criação, as pessoas, as coisas, o ar... É contagiante! As fotos ficaram ótimas! =)
(E o texto indicado, muito bom!)
Beijinho, Lu.

Andrea Pecine disse...

Lindo, lindo.
deu até arrepio.
bjs

Irma Andréia disse...

Nossa Lu, não conheço sua loja 'ainda', mas virtualmente já é um ambiente muito acolhedor...Cheio de corações então...
Ahh se for p São Leo fim de ano, de novo... vou ter que dar uma passadinha por ai...
(simmm minha mãe da esse cházinho pra gente até hoje kkk)...
O texto é lindo...

Com certeza, fazer o que se ama, poder trabalhar com o que realmente nos faz bem, é tudo...

Boa semana p vc.
bjim

Janaina disse...

Oi Lu,

Sempre acompanho seu blog.Ele é muito inspirador.Te considero uma pessoa criativa e muita batalhadora!
A vitrine ficou magnifica. Parabéns!
Esse texto é maravilhoso.Tem tudo haver com um projeto, que eu mais um grupo de mulheres,aqui de Diadema-SP,estamos criando...vai nos ajudar a não desistir do nosso objetivo.
Obrigada por tudo.
Beijos e tudo de maravilhoso!!!

Ana Amélia de Oliveira disse...

Lu,

obrigada pela indicação do blog e por fazer tudo com amor. Quem ganha somos nós, admiradoras do teu trabalho.

Beijokas, Aninha

Teresa Aparecida de Aquino Soranso disse...

Olá, Lu!
Adoro visitar seu blog.
Vi as guirlandas de macela. Qdo criança, por ter bronquite, minha mãe recheava meu travesseiro com ela porque melhorava a respiração. Até hoje sinto o cheiro...mas não se acha mais por aqui. Doces lembranças!
Bjs

O mundo da Dani disse...

adoroooooooooooooooooo teu blog
ainda vou ai conhecer pessoalmente

bjusss