terça-feira, 27 de abril de 2010

frutas & vegetais

Há quase 5 anos atrás, eu buscava um produto que tivesse "minha cara". A proposta era de que não fosse "temático"; nada de natal, páscoa, dia das mães. Queria um produto LUGASTAL.
Depois de ver a foto de uma maçã de tecido numa revista japonesa, senti aquela vontade de fazê-la, embora eu não tivesse os moldes.

As primeiras pareciam ter sofrido mutações genéticas em laboratório de pequisa...mas mesmo assim, eu achava lindas! risos... até que um dia procurei o sebrae prá buscar aprimoramento, mas o designer contratado, preocupado com seu brilho próprio, sequer me olhou, tampouco me deu o mínimo de consideração que se dê a uma pessoa que busca apoio da instituição (contando que o fofo era pago pelo sebrae para atender artesãos). Mas essa é uma longa história e não contarei hoje. Apenas quero fazer alusão de que o descaso do designer-metido-a-pseudo-celebridade me deu uma vontade imensa de seguir adiante (depois de muitas lágrimas derramadas de raiva!!!).

Assim, comecei sozinha a desenvolver o processo dos moldes, de forma com que tivessem qualidade e ficassem bacanas. As peças foram criadas, e ficaram fofas! Logo, tive a oportunidade de fazer minha primeira matéria em revista nacional, a extinta Faça&Venda, e esse foi o início da história!
Fiz apostilas, e em seguida os moldes e fotos foram difundidos no meio craft, além de publicados na revista Patch&Afins.

No ano seguinte, recebi um convite do próprio sebrae-df  para participar da feira Paralela Gift, destinada a lojistas. Lá me fui, com 3 sacolas gigantes, cheinha de frutas, e as vendas foram ótimas! Voltei feliz da vida, acreditando que não podemos desistir de nossas vontades, independente da opinião alheia.

No outro ano, novamente estava eu na Paralela Gift, com as minhas frutinhas e vegetais (já com a "família" aumentada), quando me deparo com quem??? O designer do sebrae... aquele que avacalhou meu trabalho e desmereceu, como se fosse um lixo qualquer. E, prá minha surpresa (e raiva de babar pelos cantos da boca), o fofo havia pego um grupo de artesãs carentes, e, com subsidíos do governo e muita mídia, colocou  as coitadas para produzir: frutas em tecido! Me senti roubada... mas também não desisti!

Minha "horta" seguiu a produção; lojas pediam encomendas, e nesses anos sempre tive êxito nas vendas das feiras onde eu participava.
No ano passado, desenvolvi um trabalho com um designer gente finíssima chamado Luis Galvão, e nosso trabalho foi centrado na produção das frutas e legumes. Dessa vez, ao invés de algodão, usamos tecidos mais refinado, além de acabamento pensado minunciosamente, o que conferiu às peças um ar mais chique.

Mas as velhas e conhecidas frutinhas de algodão continuam fazendo sucesso... e estão na linha de produção!

Em breve, frutas, legumes e apostilas por aqui!


Prepare a sacola prá fazer a feira!

quinta-feira, 22 de abril de 2010

céu de Brasília!



Ontem foi dia de festa na capital federal. Cinquentona, charmosa e absolutamente única, a cidade recebe a triste fama de "lugar de corruptos/ilha da fantasia". Qualquer outra cidade que abrigasse um congresso nacional, com "pérolas políticas dos 4 cantos do brasil", além de pessoas corretas, é claro, receberia o infeliz rótulo... não vamos generalizar, má índole não é problema de uma cidade, mas do contexto e "jeitinho" do nosso Brasil. Mas Brasília não tem nada a ver com esse mar de picaretagem! É linda, iluminada, tem pessoas muito bacanas e honestas, e presenteia seus moradores com um super astral e visual com designs únicos! É conhecer e se apaixonar!
É um "mini Brasil", uma mistura de sotaques, cultura, culinária, jeitos.
Sinto saudade de lá... do sol radiante, que não me deixava acordar com preguiça todas as manhã.dos programinhas básicos... ficar em casa, piquenique no zôo, chimarrão na praça dos 3 poderess, aventuras na nicolândia (parque da cidade), ou uma simples e gostosa corrida por lá no fim da tarde. Os shoppings nunca me atraíram muito, mas confesso que são um templo prá realização de qq desejo!
Lembro de uma das primeiras vezes em que fui ao STF, e não pude entrar porque não estava de terninho... a solução foi imediata, pedi emprestado o "paletó" do motorista que me levou, e o assunto foi imediatamente resolvido! Formalidades da capital federal!
Bem, adorei ver a cidade que me acolheu com tanto aconchego nos jornais e programas de tv no dia de ontem, seu aniversário. Dá saudade, porque céu de Brasília não há igual!

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Três dias na terra das novidades!




Tô meio atrasada prá contar as andanças por São Paulo... mas aqui vai! Na semana passada, foram três intensos dias em que pude caminhar, conversar, olhar e sentir o que de novo acontece naquela cidade tão única, que consegue mixar o antigo e o novo com harmonia e leveza.Além de deliciosas caminhadas pela vila madalena e jardins, e aquela passadinha tradicional no starbucks da alameda santos, foi também momento de conferir os lançamentos prá quem curte a arte da costura, na feira brazil patchwork show.
Passear numa feira de patch, onde o público é 98% feminino, é uma tarefa prá quem tem fôlego. De chegada, uma filha imensa... que é absorvida rapidamente com a abertura dos portões. Lá dentro, um frenesi da mulherada, naquela profusão de hormônios, cliques ( alguns, não autorizados) e encontros! Os sorteios de máquinas no final das tardes também garantia o alvoroço da galera.
De chegada, encontro a amiga rita paiva, uma das primeiras pessoas que incentivou minhas "crafts invenções", lá em meados de 2006. Prá minha surpresa, rita passeava pela feira com a bolsa que customizei no estande da make, na mega artesanal do ano passado. Essa bolsa foi contracapa da revista no ano passado, o que me encheu de alegria! 
Vários estandes bacanas, com tecidos importados lindos, e nossos tecidos nacionais mostram que estão, aos poucos, ganhando uma inovação em estampas e cores, o que favorece nosso trabalho, pois conseguimos costurar peças bacanas com tecidos "made in brasil"! Grandes lojas, como Eva&Eva, Telanipo e Toke&Crie garantiram novidades nos produtos do segmento.
Colchas e panôs de cair o queixo eram apresentados nos quatro cantos do centro de eventos do colégio são luiz. Difícil era olhar os detalhes de todos!
Na praça de alimentação, uma exposição de panôs inspirados na amazônia... com peças de cair o queixo nos quesitos criatividade e bom gosto!
Prá quem garimpava moldes, a oferta também foi grande! Um dos estandes mais visitados foi, sem dúvida, da loja catarinense True Friends, que atendeu à demanda com muitas peças importadas, entre livros/panos/apostilas.
Momento também perfeito prá por as fofocas em dia com pessoas queridas que encontrei por lá! Minhas parceiras da Casa Quilt, Claudia e Roberta; as irreverentes cássia e helen; laura (laranja limão), flávia (mamãe gansa), hilquias, lia domingues, aracy, e mais um bocado de gente animada e bacana.
Bom, mas tudo o que é bom acaba, e o presente, na hora de voltar, foi uma fila com mais de 300 pessoas no aeroporto de congonhas. Motivo: o sistema caiu! (&¨$$++?????? = palhaçada).

Adorei, e voltarei sempre que puder!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

de Sinimbú a São Paulo!


Sumi! Depois de quase uma semana desaparecida, aqui estou!
No fim-de-semana, uma "fugidinha" prá visitar minha vó Norminha, que tá precisando de carinho, no hospital.
Sempre digo que "casa de vó" tem cheiros únicos, barulhos e lembranças espalhados por todos os lados. Hoje em dia não tem mais aquele cheirinho de cuca saindo do forno, a água do mate aquecendo no fogão a lenha, o barulhinho das portas de madeira, além de outras particularidades que eram inerentes àquele lugarzinho tão bom. A lembrança vem com tudo, das brincadeiras e "artes" que fazíamos na infância, os namoricos na sala de tv, e da tia solteira que passava com a lanterna à noite, pelos quartos, prá ver se toda turma de netos estava devidamente acomodada no lugar certo (e prá controlar se estávamos todos na segurança do lar). Anos depois, já eram minhas filhas que corriam naquele pátio... e o cenário foi, aos poucos, mudando (mas até hoje adoro subir no sótão e sentir o cheirinho do passado, naquela tranqueira sem fim cheia de poeira e histórias!)

Bem, chega de nostalgia! O solzinho continua gostoso na área da casa da Norminha... e mesmo com a solidão que o tempo trouxe àquele lugar tão aconchegante, sempre é bom estar perto, parar um pouco e "ouvir" o passado. Mas o melhor é estar de volta aos pampas nesse momento, e a tranquilidade de estar a duas horas de distância da família é a melhor parte desse retorno.


Voltando da pacata e fofa Sinimbú, na colônia alemã... além das calorias que adquiri comendo cuca no fim de tarde, e bife com batata frita no clube, foi hora de voar para a cidade mais movimentada dessas bandas! Rumei a São Paulo na segunda-feira bem cedinho, prá ver as novidades da feira de patchwork que acontece essa semana no centro de eventos do colégio São Luiz. Momento de ver coisas bonitas, novidades, tecidos lindos, encontrar amigas.
Foi tudo muito bacana... mas como sempre digo: "a melhor parte da viagem é o retorno"!

Amanhã conto tudinho, com detalhes. Mas deixo a dica prás crafters que estiverem por perto: vale a pena prestigiar! O evento tá bacana e cheio de novidades a serem garimpadas!