sexta-feira, 26 de março de 2010

Lu Gastal & Porto Alegre


Logo que cheguei na capital gaúcha escrevi um post "Porto Alegre & Lu Gastal". Prá mim, significava o início de um relacionamento bem especial!

Pois hoje repito o post, só inverto os nomes prá variar um pouquinho! Porque é NOSSO aniversário!

Tudo bem que não sou mais uma guria, mas digo com alegria que comemorar meus 39 anos é gostoso! Tenho pessoas queridas, uma família que me aguenta no batidão do dia-a-dia e mesmo assim me ama, recebo o carinho de tanta gente que nem conheço pessoalmente. Ah... tenho também bastante saúde e disposição!

E Porto Alegre... tá linda e sempre jovem, no auge dos seus 238!

Bem, como aniversário é só uma vez por ano, vou aproveitar nosso dia!
Happy birthday!

terça-feira, 23 de março de 2010

Mãos à obra!


Sempre tive uma queda por Páscoa... desde pequena (e olha que já faz tempo!!!!). Tento lembrar os motivos, mas acho que, como qualquer criança, era o momento de ganhar um monte de coisinhas boas! Lembro dos ovinhos pequenos com recheios gostosos, dos pequenos coelhinhos de marzipan, que minha mãe comprava num supermercado lá em Cachoeira do Sul, e que minha cestinha sempre era a mais difícil de encontrar! Naquela época, não haviam esses ovos grandões que hoje têm nos mercados e lojas, as mães tinham mesmo é que ser criativas e organizavam cestinhas cheias de doces bacanas!
O meu "ninho" - como chamávamos a cesta de Páscoa, era cheio de frufruzinhos em papel de seda, e todo ano era o mesmo (cada irmã tinha de uma cor). Confesso que a cor me foge da lembrança, acho que era vermelho, mas recordo com precisão de uns pequeninhos bombons de licor que eram disputadíssimos entre a gurizada.
Muitas vezes o domingo de Páscoa caiu no dia do meu aniversário, e aí era um momento feliz e triste; feliz pq sempre tinha churrasco com toda família, vôs e vós, primos, etc, prá encerrar um feriadão que sempre era boooooom! Triste porque eu corria o risco de ganhar um presentinho pequeno com a cesta grande cheia de chocolates... mas como naquela época não se ganhava presentes fora de época, dia de aniversário era sagrado, sempre chegava uma susi ou algum jogo que a gente estivese namorando!!
Mas o programinha sempre era bom, seja na casa de uma vó ou da outra! O cheirinho de amendoim doce, a euforia na procura das cestinhas, era tudo festa!

Bem, mas muitas Páscoas se passaram... agora a responsabilidade de enfeitar a casa e deixá-la pronta para a chegada do coelho é minha! E mesmo com aquela conversa de que papai noel e coelho da Páscoa não existem, ainda escondo os ninhos e, quando elas me questionam o por quê, explico que eles existem prá quem acredita!!!! (I believe!!!!)!

Minhas avós estão, digamos...cansadas da tarefa de receber a galera nas suas casas! Gostam, mesmo, é de saber que o coelho da Páscoa anda pelos lares alheios, o que lhes garante o sossego e silêncio que a idade pede. Minha mãe, esse ano, cuida da Norminha (minha vó), que tem merecido cuidados prá lá de especiais! Então a Páscoa será no meu novo lar, e fico com a tarefa de animar a gurizada como minha mãe fazia há tantos anos atrás!
Prá isso, vale pintar casquinhas, colocar patinhas de coelho pela casa (mas afinal, o coelho existe ou não existe?), e fazer biscoitos de mel, que a galera adora!
Mãos a obra, chega de papo! Hora de trabalhar!

p.s: biscoitos de mel em saquinhos de organza, estão no site e, em Brasília, na Casa Quilt!

segunda-feira, 15 de março de 2010

Um cantinho prá "chamar de meu"!


Casa organizada, crianças na escola, vida entrando no ritmo! Agora é hora de pensar em mim!
Naturalmente vem a dúvida, fazer o quê, trabalhar aonde. Início é sempre difícil, seja onde for. Meu círculo de relacionamentos, por enquanto, se limita à família, minha irmã e meus vizinhos, que são bem bacanas e parceiros para os momentos em que dá aquela vontade de tomar um cafezinho e jogar conversa fora. Bem... mas tudo tem seu tempo,e por mais que eu saiba disso, dá um aperto no coração!
Em Brasília, muita gente já conhece o espaço super gostoso que divido com Claudia e Roberta Werberich, a Casa Quilt. Ai que saudade!!!
Nesse momento de pensar o-que-fazer-da-vida-profissional, recebo o carinho de minha amiga Júnia, que lembrou de mim ao visitar Tiradentes. Parece que a foto "acelerou" minha vontade de ter "um canto prá chamar de meu" em Porto Alegre!!!!
Por enquanto, estou limitada ao meu craftroom (na verdade, uma das salas do lar, que foi invadida por panos/tesouras/revistas). Tá uma gracinha, longe estou de reclamar... mas o dia a dia dentro de casa é complicado, pois as atividades se misturam e o tempo passa despercebido e apressado.
Bateu aquela vontade de ter um pequeno ateliê, um lugarzinho onde eu possa trabalhar e receber pessoas, dar oficinas, inventar com o silêncio e sossego necessários. Porto-alegrenses, ajudem-me a procurar?
Aceito sugestões...