sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Páscoa MAKE


Foi com imensa alegria (e orgulho, é claro), que, em meados de dezembro, recebi um mail da revista Make - Rita Paiva, com o convite prá produzir a matéria de Páscoa de 2010. Naquela hora, muitas idéias borbulharam, mas realmente me preocupava o fato de não conseguir finalizar as peças ao tempo necessário.
Tudo acontecia naquela semana; definimos a mudança da família para o sul, as crianças se despedindo dos coleguinhas, viajando prás férias, e a loucura pré natal na loja, época de bazares e oficinas de fim de ano. Mas como as oportunidades não costumam bater duas vezes na mesma porta, não seria esse o momento de reclamar qualquer cansaço... até porque eu adoro um desafio!
Depois de um fim de semana com mais de 60 crianças na nossa casa, em duas quase intermináveis festas de despedida, parecia que um furacão havia passado pelo lar. As meninas voaram para o sul, e, quando o silêncio reinou na casa, era hora de pensar na Páscoa Make.
Rita Paiva fez uma única observação: que a matéria fugisse do tradicional verde/laranja, pois a matéria de 2009 trouxe aquelas cores. Juntei algumas embalagens de papel, caixas vazias, e separei os tecidos, em tons lilás com verde e creme. Naquele momento visualizei uma composição fofa e diferente. E mãos à obra!
As caixas e embalagens de papelão (caixa de sapato, cone de M'M, embalagem de camiseta) foram forradas com tecidos diferentes. Depois, a confeccção da toalha de mesa, bandeirolas e guardanapos e os detalhes que eu a-do-ro(Rita havia comentado que as fotos seriam produzidas em cenário externo, então as bandeirolas cairiam bem!). O casal orelhudo ganhou vestido cor de vinho, mesclandos xadrez com floral, e com a ajuda da minha amiga Morgania uns babadinhos a mais foram costurados naqueles modelitos. Mas como a Páscoa Lu Gastal não é apenas colorida, mas sobretudo saborosa, era hora de fazer a única coisa que me leva prá cozinha, os biscoitos de mel, que, na minha opinião, foram as "estrelas" da matéria! E, é claro,as casquinhas de ovos, que são a marca do ateliê e da minha infância... e lá estão elas na reportagem, tão lindas que mereceram uma página todinha delas!
Bem, mas naquele tempo apertadinho... tudo ficou pronto! Noite de domingo e recebo a visita do meu amiguinho Enrico, que foi buscar os biscoitos e guloseimas que estavam na árvore de Natal. Quando entrou na sala, perguntou, na ingenuidade de seus quatro aninhos: "mas tia lu, afinal é natal ou páscoa??????"! Era uma mistura de "momentos"!
Segunda-feira madruguei no aeroporto, e como não tinha conseguido finalizar as cenouras, foi no vôo Bsb-Sp que consegui acabá-las! E valeu a pena, pois também ganharam um lugarzinho especial nas fotos, produzidas pela equipe da Make, sob supervisão de Rita Paiva.
Bom, chega de blá blá blá! A revista está nas bancas e eu abro o sorriso de tamanha alegria!
Obrigada revista Make e leitoras! Recebo tantos mails queridos e leio comentarios nos blogs que me dão a certeza de que o esforço é sempre compensado!!!
p.s: depois de quase 10 dias peregrinando pelas bancas de revista de Porto Alegre, finalmente ontem à noite comprei minha Make! A foto é do celular de Laurinha!

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

O recomeço!


Aqui estou de volta! Após o feriado de carnaval mais longo e trabalhoso que já vivi, finalmente a casa tomou ares de lar!

Depois de duas semanas de vida "cigana", num interminável abre e fecha de mala e sacolinhas... malabarismos para acomodar filhas, gata, papagaio e cachorro (haja logística!!!!) sem que sentissem o terremoto que é uma mudança, finalmente estamos todos sob o mesmo teto!
Foram dias de excessivo calor, no meio de muitas caixas; pessoas diferentes cruzando prá lá e prá cá. Pintores, eletrecistas, carregadores de mudança, chaveiro, "faz tudo" - essa é a profissão que eu admiro, pois faz tudo o que os outros não fazem. Muitas latas de tinta, lâmpadas 110 W, adaptadores e transformadores, pregos, martelo, furadeira, barulho e sujeira. Vários momentos de tensão, nervos a flor da pele, paciência em dose extra do meu marido comigo, vontade de chorar diante do "caos" que é olhar mais de 300 caixas de papelão para serem abertas e devidamente organizadas.
Mas ACABOU! Está (quase) tudo no seu devido lugar. Ainda há vários ajustes... sem pressa.
Agora, mãos à obra! Hora de trabalhar, recomeçar, adaptar.

p.s: Quero agradecer pelo carinho que recebo diariamente pelo flickr e blog, me fazem sentir querida!!!!!

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Matéria CASA DE ARTESÃO



Enquanto meu lar descia o Brasil (literalmente, pela estrada afora), recebi essas fotos escaneadas, de uma matéria publicada na Revista do Correio - edição dominical do Correio Braziliense, de dois domingos atrás.
É claro que imediatamente a saudade apertou... estava começando minha mudança quando a redação do jornal ligou pedindo prá fotografar um ambiente da minha casa, pois preparavam a matéria sobre a casa dos artesãos. No momento hesitei, pois o lar já vinha pouco a pouco sendo desmontado, mas living/sala de jantar ainda estava intactos. Assim, recebi a equipe do correio, e enquanto conversávamos e as fotos foram feitas, deu tempo da gente tomar um cafezinho com docinhos de Pelotas, presente que eu havia ganho um dia antes.
Fiquei surpresa com a matéria, sobretudo pelo texto, pois traduziu exatamente o que eu prezo: a simplicidade e o resgate da história.
Adoro meus presentes "herdados", aqueles que trazem, além da beleza, um pedacinho do passado. E nesse caminho, curto demais trabalhar na bancada de costura do meu avô Rodolfo, que era alfaiate; reunir a família em torno da sala de jantar que era dos meus sogros, quando o Claudio nasceu, no Chile, e daí por diante. A maioria das peças antigas me foram presenteadas, outras adquiri nas minhas "andanças".
O antigo sempre cai bem ao novo, e cabe aquem curte associar e curtir um pouquinho dessa história!
Demorei duas semanas prá mostrar as páginas, pois na mudança fiquei totalmente OFF, por falta de tempo, disposição e internet. Então, aqui está a publicação do Correio, mostrando um pedacinho do meu lar braziliense!

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Porto Alegre & Lu Gastal



Fevereiro-2010. Tudo novo!
As mudanças sempre me são nostálgicas. Depois de um períoso "na estrada", essa semana finalmente "atraquei" em Porto Alegre. A capital gaúcha me recebeu com uma temperatura menos escaldante, e já tive a alegria de presenciar os lindos fins de tarde! Mas como qualquer novidade, preciso ainda cair nos encantos da nova cidade, que pelo que todos falam e escrevem, é "demais"!
Ainda prá mim tudo é estranho, novo. Diferente de Brasília, todo mundo fala com o mesmo sotaque que eu; há mulheres tão ou mais altas do que eu, as ruas têm nomes e não números - algumas mudam de nome no meio do caminho... (viva a tecnologia e o gps!!!!).
Nâo há como negar que Porto Alegre é linda! Mas meu coração ainda pulsa forte de saudade, pois sou uma apaixonada assumida pela capital federal! Bem... mas também não sou mulher de lamúrias; sou positiva; chuto a bola prá frente! Não há o que lamentar, a vida realmente muda e a gente se adapta!
Aqui estou, hora de descobrir e desvendar!
E como hoje começa a mudança em meu novo lar, ficarei uns dias OFF. Deixo um poema do porto-alegrense-mais-querido-do-pedaço, Mário Quintana:

FELICIDADE
"Quantas vezes a gente,em busca da ventura,
Procede tal e qual o avozinho infeliz:
Em vão,por toda parte,os óculos procura
Tendo-os na ponta do nariz!"

foto: Lisi Kaempf

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

On the road


Desde sábado sou uma "sem lar". Não, nem pensar em criar qualquer movimento dos sem-alguma-coisa! Meu problema é temporário, só o período entre desmontar o lar em Brasília e montá-lo na capital gaúcha.
Enquanto a mudança não chega, foi momento de colocar o pé na estrada, afinal, há muitos anos eu não fazia essa viagem de carro, e esse pareceu o momento ideal, já que, no meio daquele sentimento "segura-coração-estou-indo-embora", eu tinha de pensar de que forma transportar a ARCA.
Então sábado foi hora de por o pé na estrada! Didi, marido, gata, cachorro e papagaio me ajudaram a fazer desse momento uma experiência divertida. As estradas do nosso trajeto estavam excelentes (e viva os pedágios), quase 80% duplicadas, o que dá uma tranquilidade e segurança ao trajeto. Muita água gelada, chimarrão e guloseimas que nada alimentam mas são uma delícia fizeram parte da aventura.
Lembrei da música dos Engenheiros do Hawaí, Infinita Highway... que alegra meu coração há mais ou menos vinte e tantos anos!
Mas como eu também sou de ferro, e o calor está de derreter lá nos pampas, uma paradinha estratégica na deliciosa Garopaba, prá matar a saudade das meninas que ficaram com a avó.
E enquanto a mudança não chega... meu lar é o carro, filhas, Didi, as malas, e a arca, é claro!
Por período limitado!
Prá aliviar essa transição, um mar quentinho renova as energias!