terça-feira, 3 de março de 2009

lãs, cores & frio


A foto das lãs me dá nostalgia. Lembrei de quando aprendi a tricotar. Tinha 13 anos e a tia Giselda, mãe de um namorado da minha irmã, teve a santa paciência e me ensinou... Fiz polainas e um cachecol, verde limão com cor de laranja (aaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiii áureos tempos).
Depois daquelas peças cheias de pontos desencontrados, fui aperfeiçoando, caprichando, e por anos fiz muitos blusões lindos, a gente tricotava coisas diferentes, numa época onde havia poucas opções legais prá se usar (a preços razoáveis).
Até prá namorado fiz blusões de lã, até uma bela noite, depois de não namorar mais o cidadão, ver o ex bofe abraçadinho noutra, com o blusão que eu tinha feito... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Lembrei de quantos pontos tive de pôr na agulha, e achei que tinha sido perda de tempo! Decisão momentânea: a gente só tricota para a gente e para os "nossos" - leia-se pai, mãe, irmãos, filhos, amigos!
Em Pelotas, eu e minha irmã conhecemos uma família super querida, que tinha uma malharia (tricotrama). A também dupla de irmãos Méri e Alemão fazia peças super coloridas (que eu adoro, de longo tempo), com preços legais, e a dupla Lilian e Luciana ficou preguiçosa e começou a comprar ao invés de tricotar.
Eu ainda desfilava para a loja, então o cachê era... modelitos. Fiz editoriais de moda e durante alguns anos a tricotrama alegrou nossa vida.
Em brasília, lã é uma palavra que a gente nem lembra. Em julho os brazilienses se animam, a temperatura cai uns míseros graus e o povo já se enche de blusão e cachecol. Confesso, da maior saudade que tenho do sul, além da minha família e amigos, sinto muita saudade do frio!
Bem, isso tudo é prá contar que esse ano nenhuma Blythe passará frio. As cores de LuGastal chegarão com tudo!

3 comentários:

Jú Françozo em "Festejar é Preciso" disse...

lu fiquei feliz de encontrar seu blog ... há um tempo vc estava no meu flckr mas desativei ele ... passeia no meu blog ... um bj

Mina disse...

Lu, que maravilhoso você ter tido a oportunidade de aprender dessa forma. Lindo o que você escreveu!!!

neuza cruz disse...

Muito bonita sua historinha de como
aprendeu tricotar.Eu foi diferente,
coloquei minha de 8 anos na aula de tricô e depois que ela aprendeu, aprendí com ela rsrs...Quando vc falou de Pelotas, me de saudades,lá mora uma familía muito amiga da gente. No começo fazia blusas, agora só cachecóis, pra familía e amigos...
Moro em Caçapava-SP
Neuza Cunha